Comunidade e uso racional de plantas medicinais

  • Arquimedes Fernandes Monteiro de Melo
  • Jamicelly Rayanna Gomes da Silva
  • Maria Eduarda Silva Amorim
  • Beatriz de Araújo Cordeiro
  • Risonildo Pereira Cordeiro
Palavras-chave: Fitoterapia, Plantas medicinais, Etnobotânica, Extensão Universitária

Resumo

O Centro de Informações sobre Plantas Medicinais (CIPLAM) teve início em 2013 no Centro Universitário Tabosa De Almeida (ASCES/UNITA) como extensão universitária. O projeto possui como objetivo levar informações seguras sobre plantas medicinais à comunidade por meio de estudantes e professores da instituição. Suas informações são compartilhadas em ações sociais e por meios eletrônicos, onde a população que utilizava das informações do projeto também respondeu a um instrumento avaliativo do tipo questionário sobre o uso adequado e efeitos adversos na utilização de plantas medicinais. Verificou-se que a planta mais utilizada é o manjericão com 26,6% de uso, seguido por hortelã da folha graúda (21,5%) e capim-santo (18,9%). Concluiu-se a importância desta extensão universitária no uso adequado e diminuição de possíveis efeitos indesejáveis da fitoterapia.

Publicado
2019-10-12
Seção
Artigos