Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf <p align="justify">Veículo digital para o registro e o intercâmbio de pesquisas, reflexões e experiências acerca da educação, de uma forma ampla, contribuindo para o avanço e o aprimoramento dos processos de ensino-aprendizagem.</p> <p align="justify">A&nbsp;Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco é um periódico quadrimestral, versão eletrônica, vinculada a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Publica artigos inéditos oriundos de pesquisas científicas, de revisões sistemáticas, de estudos teóricos&nbsp;e de relatos de experiências, além de entrevistas e resenhas de livros.&nbsp;O objetivo principal é&nbsp;divulgar pesquisas e estudos vinculados ao campo da educação, em perspectiva interdisciplinar.</p> <p align="justify">A REVASF adota sistema <em>full time</em> para publicação. Isto significa dizer que o autor não precisa aguardar todos os artigos da edição ficarem prontos para a efetiva publicação, dando mais agilidade as publicações, além de intensificar os acessos a revista. A Revasf incorpora ainda o modelo <em>Ahead of print</em>, que é a publicação antecipada dos artigos aprovados pela Comissão Editorial (com revisões parciais), contribuindo mais rapidamente para a difusão das pesquisas.</p> <p align="justify">A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos seguido, rigorosamente, o limite de 20% para a taxa de endogenia por edição (autores oriundos da Revasf). Caso haja excedente, os autores oriundos da Univasf com artigos aceitos serão escalonados para futuras edições. Esta medida visa adequação da política editorial aos padrões de avaliações&nbsp;(ver também em "Notícias").</p> <p align="justify">A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos trocando nossas fontes de "time new roman para arial"&nbsp;(ver também em "Notícias").</p> <p align="justify">Revasf fortalece política de internacionalização (ver em "Notícias").</p> <p><strong>QUALIS/CAPES (2013 - 2016):</strong></p> <p>– Área de Ensino: B1</p> <p>- Área de&nbsp;Educação: B3</p> <p>– Área Interdisciplinar: B4</p> <p>- Área de Medicina Veterinearia: B5</p> <p>- Área de Ciências Agrárias I - B5</p> <p>– Área de Psicologia: B4</p> <p>– Área Interdisciplinar: B4</p> <p>– Árera de Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo: B4</p> <p>– Área de Materiais: B5</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>INDEXAÇÕES</strong></p> <p>A REVASF está indexada no Periódicos Capes, no Portal SEER, Diadorim, Google Scholar, LivRe, Buscador Coruja.com, OASISBR, Latindex, Portal openAIRE, Apache Open Archives, OAJI Open Academic Journals Index, Ibict OASISBR no Diretório de Periódicos Nacionais de Educação e integrada a LatinRev.</p> <p align="justify">&nbsp;</p> Universidade Federal do Vale do São Francisco-UNIVASF pt-BR Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco 2177-8183 <p>&nbsp;</p> <p>• O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do artigo na revista.<br>• O(s) autor(es) garante(m) que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s).<br>• A revista não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es).<br>• É reservado aos editores o direito de proceder ajustes textuais e de adequação do artigos às normas da publicação.</p> <p>• Os Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:<br><br></p> <ol> <li>Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a title="Creative Commons" href="https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/">Creative Commons Attribution License</a>, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado.</li> </ol> "VAMOS PRIMEIRO OUVIR O QUE ELA TEM” http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/593 <p class="Normal1">Este artigo apresenta um estudo de caráter interdisciplinar, com contribuições de perspectivas das áreas da saúde, educação e linguagem. Parte de uma pesquisa de cunho microetnográfico mais ampla (CADILHE, 2013) com o intuito de construir uma compreensão sobre o ensino da comunicação profissional na educação médica. No presente trabalho, é apresentada a análise de uma aula de comunicação em um curso de Medicina no sudeste do Brasil, com o objetivo de compreender os discursos sobre comunicação médica que são produzidos pelos participantes da aula. São utilizadas ferramentas teórico-conceituais da Sociolinguística Interacional (GOFFMAN, 2012, SARANGI, 2000; 2001) para a análise da fala-em-interação produzida pelos participantes no contexto investigado. Como resultados, a pesquisa aponta a hibridização de práticas discursivas e interacionais que tornam o evento analisado singular no âmbito de padrões de interação em eventos de ensino e aprendizagem da comunicação médica. Como conclusão, aponta-se a produtividade de uma análise interacional do discurso para a compreensão dos processos de ensino na formação profissional.</p> Alexandre José Cadilhe Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-27 2020-03-27 10 21 24 54 A EFICÁCIA DAS AÇÕES DO EDUCANVISA EM RELAÇÃO À APROPRIAÇÃO DO CONHECIMENTO: http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/573 <p>EDUCANVISA é uma estratégia da Agência Nacional de Vigilância Sanitária voltada para o uso responsável de produtos que apresentam risco à saúde pública. Busca desenvolver conhecimentos relacionados à adoção de hábitos voltados para a promoção da saúde e melhoria da qualidade de vida. A apropriação do conhecimento assegura aos indivíduos a atuação como multiplicadores do conhecimento e agentes transformadores sociais. As principais publicações não científicas não abordam aspectos relacionados às metodologias empregadas e ao aprendizado obtido. Objetivou-se o levantamento sistemático da literatura científica sobre estudos voltados para a mensuração da aprendizagem obtida após ações do programa. Norteada pela recomendação PRISMA, realizou-se busca utilizando termo ‘EDUCANVISA’. Qualidade dos estudos considerou a aplicação de pré e pós-testes e aspectos relacionados à redação dos relatos. Três estudos compuseram a amostra final, com qualidade moderada. Um não realizou pré-teste. Diferenças significantes foram evidenciadas em um dos estudos. O reduzido número de estudos voltados para a mensuração do aprendizado evidencia necessidade de estudos voltados para este fim, uma vez que assegurarão a eficácia e eficiência do programa bem como a identificação de fraquezas e fortalezas. &nbsp;</p> Augusto Santana Palma Silva Sheila Torres Feitosa Silva Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-20 2020-03-20 10 21 xx xx COMPONENTE PRODUÇÃO TEXTUAL http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/472 <p>Introdução: No Projeto Pedagógico do Curso (PPC) de Medicina da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) sinaliza-se que é preciso assegurar o estudo de habilidades de comunicação. Nesse sentido, incluiu-se na matriz curricular o componente Produção Textual, que inexiste nos cursos de graduação da área de saúde ou áreas que não sejam específicas de Letras ou Educação. Objetivos: Descrever a percepção dos estudantes de Medicina da UNEB sobre a aplicabilidade do Componente Curricular Produção Textual, verificando se, esse componente contribui para a habilidade de leitura e de escrita, para o desenvolvimento do Projeto de Pesquisa e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), além da escrita de anamneses e relatórios médicos. Metodologia: Estudo transversal, observacional com abordagem quantitativa e qualitativa. Um questionário, com questões abertas e fechadas, foi aplicado aos alunos de Medicina da UNEB do primeiro, segundo e oitavo semestres, contendo questões relacionadas ao componente curricular, como conteúdos, carga horária, aplicabilidade dos conhecimentos e habilidades desenvolvidas como as estratégias de leitura e de escrita, além de questões sociodemográficas dos estudantes. Resultados: 74/96 estudantes participaram. 60% consideraram válida a existência da disciplina; 73% que a leitura e a comunicação escrita são fundamentais para formação em Medicina, 55% a carga horária suficiente; 68% declararam que a disciplina auxilia no estudo de outras disciplinas; 57% que a disciplina contribui para elaboração de anamneses, relatórios médicos e prescrições de receitas médicas. Os resultados qualitativos revelaram a disciplina como um componente fundamental para a formação da área médica. A sugestão de inclusão de conteúdos relacionados mais diretamente com a prática médica, como elaboração de anamneses e de relatórios, foi o que mais prevaleceu. Conclusão: Eles percebem os conteúdos abordados no componente curricular como efetivos para o melhor desempenho dessas habilidades nos outros componentes curriculares, no desenvolvimento do TCC e na formação acadêmica geral.</p> Rujane Mota Alves Ieda Maria Barbosa Aleluia Sandra Lúcia Brasil Santos Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-20 2020-03-20 10 21 06 23 Editorial http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1048 <p>Editorial</p> Marcelo Silva de Souza Ribeiro Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-20 2020-03-20 10 21 04 05 “POR QUE MUITAS PESSOAS TEM VERGONHA DE FALAR SOBRE SEXO?” http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/578 <p>O presente trabalho tem como escopo retornar a uma prática pedagógica desenvolvida, durante a atuação docente, em uma sala do 5º ano do Ensino Fundamental I. Tal exercício ocorreu junto aosagenciamentosentre o currículo, o livro didático e os questionamentos sobre o corpo e a sexualidade tramados pelas crianças. Primeiro, apresentamos o espaço em que a prática se desenrolou e, igualmente,os afetos que permitiram o retorno a esse planejamento. Em um segundo momento,levantamos uma discussão a respeito dos estudos nos|com|emcotidianos e o modo como os mesmos nos possibilitaram reflexões acerca da temática.Assim, em seguida, discutimos junto com a formação do docente, as pesquisas sobre a temáticaenunciada e os conceitos “corpo e sexualidade”.Acompanhando e nos abrindo a uma sensibilização entre as crianças, também pontuamos o modo que se desenvolveu a implementação de uma caixinha da vergonha e como as perguntas encontradas na mesma geraram possíveis compreensões sobre os nossos corpos e as sexualidades. Enfim, buscamos mergulhar junto aos desafios e as possibilidades da produção de outras práticas pedagógicas que nos conduziram a (re)pensar a constituição do corpo e da sexualidade.</p> Rúbria de Cássia Magalhães e Silva Graziele Corrêa Amorim Heloisa Raimunda Herneck Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-19 2020-03-19 10 21 xx xx A CARTOGRAFIA COMO MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO E INTERVENÇÃO EM REALIDADES DA EDUCAÇÃO E SAÚDE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/952 <p>O cuidado em saúde se configura como ‘processo’ dinâmico, nos quais profissionais e usuários são atravessados por determinantes externos que influenciam suas ações. A partir de uma compreensão epistêmica da cartografia discutiremos linhas de compreensão sobre o fenômeno saúde/educação, destacando os processos de subjetivação dos indivíduos, as linhas duras, flexíveis e linhas de fuga como possibilidades de compreensão da realidade. Articulando os autores Foucault, Deleuze, Guattari e Baremblitt, este ensaio se propõe a compreender o processo de produção e reprodução da vida, como se dá o modo de constituição da educação e saúde em relação à configuração do Estado e dos modos de governar no capitalismo, incluindo a regulação sobre o corpo coletivo, social e sobre os corpos dos indivíduos que se fez (e faz), entre outros, por meio da medicalização das sociedades e da população. Nosso <strong>objetivo</strong> é refletir sobre a compreensão na pesquisa cartográfica e seu território de atuação, aplicando, especificamente nos grupos para discutir a implementação de classes hospitalares, dificuldades, avaliação dos programas de formação e autopercepção desses profissionais sobre sua atuação. Nossa pesquisa cartográfica reconhece a importância da formação em trabalho para profissionais de formação técnica, acreditando nesse espaço de construção de conhecimento efetivo como importante para a tomada de decisões estratégicas pela gestão pública em saúde. Ao reconhecermos a compreensão como uma <strong>metodologia</strong> de acesso à realidade e ao ideário sobre o tema, cartografamos movimentos titubeantes, ancorados em representações sobre a realidade, contextos sócio-políticos e relações de saber e poder nas instituições estudadas.</p> Cristina Miyuki Hashizume Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-19 2020-03-19 10 21 xx xx EDUCAÇÃO EM SAÚDE DA MULHER COMO INSTRUMENTO PARA O EMPODERAMENTO: UM RELATO DA EXPERIÊNCIA DE DISCENTES ATUANDO EM UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/452 <p>&nbsp;Diante da importância de aproximar a comunidade acadêmica dos serviços de saúde, o núcleo temático (NT) de promoção à saúde no processo de viver humano: atenção à saúde da mulher ofertado pelo Colegiado de Enfermagem da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) buscou utilizar a educação como instrumento de promoção da saúde e prevenção de doenças, contribuindo para a autonomia das pessoas da comunidade, principalmente aqueles em maior vulnerabilidade. Este manuscrito tem como objetivo relatar a experiência de um grupo de acadêmicos de Enfermagem e Ciências Farmacêuticas no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), utilizando da educação em saúde para compartilhar conhecimentos inerentes à promoção e prevenção, enfatizando a saúde da mulher. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo do tipo relato de experiência sobre a construção de oficinas temáticas assim como sua aplicação junto aos usuários do CAPS na cidade de Petrolina-PE. Ao final da vivência, percebeu-se que as expectativas foram atingidas, visto que houve um engajamento entre os discentes e os usuários, com interações, discussões sobre os temas, além de inúmeros questionamentos e relatos pessoais demonstrando interesse pelas temáticas abordadas. Foi notável o quanto essas trocas de conhecimentos foram importantes, tanto para os usuários, que puderam adquirir conhecimentos importantes para sua realidade, quanto para os acadêmicos, que obtiveram experiências válidas para sua construção profissional.</p> Stefania Evangelista dos Santos Barros Iris Caliane Coelho de Souza Luis Henrique Alves de Souza Maria Ianne Moreira Leite Martha Halana Bastos da Rocha Roberta Vania dos Santos Thiago Araújo Gomes Vitória de Barros Siqueira Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-19 2020-03-19 10 21 xx xx O PROFESSOR DE CIÊNCIAS FRENTE A TEMÁTICA MORCEGOS: http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/473 <p>Objetivou-se investigar professores de Ciências em relação aos conhecimentos sobre morcegos. Para tanto, utilizou-se entrevistas semiestruturadas de caráter qualitativo, gravadas e transcritas para serem analisadas pela metodologia de Análise de Conteúdo de Bardin. Logo, os professores passaram por uma oficina de formação continuada, a fim de avaliar a compreensão final do grupo. As concepções dos professores sobre o tema, remetem muito àquelas sugeridas pelos livros didáticos, de um modo superficial, com visões preservacionista e utilitarista. Os docentes reconhecem a necessidade de transferir conteúdos aos alunos para que possam ter a consciência do saber (tradicionalismo), entretanto, a falta de tempo em discutir um tema peculiar, faz com que isso não aconteça. Cabe ao professor inserir-se em discussões, nas quais o aluno poderá compreender o real papel desses animais ao ambiente, mas, também, verificou-se a necessidade da realização de práticas de formação inicial/continuada, para que haja fortalecimento na construção do conhecimento do educador sobre morcegos.</p> Andrew Vinícius Cristaldo da Silva Valdênia Fernandes Rodrigues Eleotério Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-19 2020-03-19 10 21 xx xx ANÁLISE DAS EXPERIMENTAÇÕES POLÍTICO-PEDAGÓGICAS VIVENCIADAS EM UM ESTÁGIO EXTRAMUROS: http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/569 <p>Cenários práticos ofertados por estágios supervisionados são abordagens inesgotáveis para a formação dos futuros profissionais de saúde.&nbsp; Frente a esse contexto, emergiu o objetivo desta pesquisa, analisar os possíveis impactos trazidos pelo “Estágio de Clínica Integrada em Atenção Primária” junto à qualidade do processo formativo de acadêmicos do curso de Odontologia. Para tal, qualitativamente, o estudo se delineou na compreensão dos dispositivos político-pedagógicos atrelados às experimentações de atividades de educação em saúde vivenciadas em “Salas de espera” das clínicas odontológicas da Universidade Federal de Juiz de Fora, MG. Didaticamente, sob a lógica do planejamento estratégico, as ações programadas pelos estagiários seguiram três períodos: Teorizando/“o pensar” (T), Praticando/“o fazer” (P) e Criticando/“o refletir” (C). Do percurso analítico, três inferências se destacaram: 1. A efetividade do planejamento estratégico (Teorizar-Praticar-Criticar/TPC) em interface com a qualidade das ações de educação em saúde; 2. O reconhecimento das salas de espera como território fértil para o desenvolvimento de atividades promotoras de saúde; 3. A importância de se compartilhar os aprendizados advindos de experimentações práticas de estágios. De tudo, pode-se afirmar que os estágios supervisionados extrapolam qualquer grau de importância, na verdade, vivenciá-los é fundamental para se prover uma formação acadêmica contextualizada e, principalmente, humanizada.</p> Luiz Eduardo de Almeida Marília Nalon Pereira Vitória Celeste Fernandes Teixeira do Carmo Beatriz de Pedro Neto Letícia Ladeira Bonato Nathália Vianelli Maurício Luís Felipe Eugênio Andrade Luiz Felipe Victor Soeiro Cabral Luiz Miguel Ferreira Maria Clara Martins Uberaba Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-19 2020-03-19 10 21 xx xx Expediente http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1027 Editor Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-03-06 2020-03-06 10 21 01 03 ANTROPOLOGIA E SAÚDE CAMINHOS POSSÍVEIS PARA (RE)PENSAR A PRÁTICA MÉDICA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/541 <p>A formação médica constitui um tema importante e sempre atual sendo alvo constante de preocupação entre educadores, pesquisadores e de políticas públicas. A inserção obrigatória das ciências sociais nos currículos médicos foi uma das últimas atualizações realizadas pela Diretriz Nacional Curricular visando dar conta das necessidades do cuidado em saúde. Neste artigo, objetivou-se refletir acerca da inserção do ensino da antropologia no curso de medicina e as possibilidades suscitadas por este, principalmente, para contextualizar culturalmente as concepções, os cuidados e as técnicas dentro da profissão de médico. Buscando trazer o que a medicina tem a aprender com a antropologia, utilizou-se de dois conceitos estruturantes da antropologia, a saber: a interculturalidade e o relativismo cultural. Foi constatado que a antropologia tem a função de ser ponte e mediação entre dois mundos (do médico e do paciente) mostrando-se fundamental para construção de novos olhares sobre os saberes e práticas médicas.</p> Hebert Luan Pereira Campos dos Santos Fernanda Beatriz Melo Maciel Ruth Ellery Lima Flores Paulo Rogers da Silva Ferreira Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 50 64 RACISMO NO AMBIENTE ESCOLAR http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/527 <p>A educação pode ser vista como uma das bases para a construção da cidadania que desempenha relevante papel na formação do caráter e reflexão social. Deste modo, percebe-se que a escola é um espaço propício para que sejam realizados debates sobre a realidade étnico-racial no país, tratando das diversas vertentes que o tema engloba, como estigmatização, desigualdade e práticas racistas, a fim de combater o racismo e gerar equidade racial. Este estudo de caso foi realizado numa escola no campo, no estado da Bahia com setenta e seis alunos do Ensino Médio no intuito de compreender quais as vivências e concepções destes sobre o racismo no ambiente escolar. Através dos resultados afirma-se a existência do racismo explícito e velado nas relações interpessoais, praticado por atores que compõem tanto o grupo de discentes, quanto de docentes da instituição. Observou-se, ainda, que os alunos possuem consciência dos problemas raciais, mas a educação formal pouco tem contribuído para a transformação de ações e pensamentos discriminatórios que acometem os negros.</p> Luana Lima Bittencourt Silva Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 65 102 AFETIVIDADE EM SALA DE AULA E SUA RELEVÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO COGNITIVO DE ALUNOS ENTRE 5 E 7 ANOS DE IDADE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/511 <p>O presente artigo trata sobre a afetividade em sala de aula e sua relevância no desenvolvimento cognitivo de alunos entre cinco e sete anos de idade. O texto busca conceituar e pontuar a influência do afeto na aprendizagem de crianças nessa faixa etária, propondo uma reflexão sobre o papel do professor na construção socioafetiva do educando. Diante disso, realiza-se uma revisão literária, elencando o que há de mais atual sobre a temática, tendo em vista que o tema afetividade ainda é pouco debatido nos espaços educativos. Baseado nos teóricos Wallon (1995) e Morin (2003), o artigo busca ainda contribuir para o enriquecimento das práticas pedagógicas, possibilitando a discussão a respeito desse aspecto, com a finalidade de elucidar o saber docente, considerando o indivíduo em sua integralidade e, em caráter conclusivo, foi observada a importância da relação professor-aluno, observada de afeto e atenção, para a plena fluidez da aprendizagem.</p> Ester Oliveira Costa Roberto Remígio Florêncio Marcleide Sá Miranda Oliveira Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 103 119 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/919 <p>O presente trabalho compõe capítulo de dissertação sobre a educação superior pública no submédio São Francisco, a partir do estudo de caso da Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF. A metodologia adotada foi a pesquisa documental, com a análise de registros e dados oficiais. O objetivo é a investigação do processo de consolidação da UNIVASF, que ocorreu no período de 2003 a 2006, durante o período do chamado “Programa Expandir”. Buscou-se localizar as origens e marcos legais da instituição de forma a compreender se ela de fato significou um novo paradigma do processo de expansão e interiorização da educação superior pública no Brasil, em razão de ser a primeira Universidade Federal criada no submédio São Francisco e possuir caráter regional, voltada para a formação da população local. Verificou-se que a UNIVASF se consolidou de fato como um paradigma da expansão, iniciando um novo período para a região do submédio São Francisco e para os futuros processos de interiorização da educação superior pública no Brasil.</p> Patrick Campos Araújo Icarema Campos Cusati Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 120 157 AUTOBIOGRAFIA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/557 <p>O presente artigo é resultado de pesquisa realizada no Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS) do Campus Mata Norte da Universidade de Pernambuco, sob o título: Autobiografia: uma ponte para o desenvolvimento da escrita. Nosso objetivo foi investigar e aplicar uma metodologia de ensino que favorecesse o desenvolvimento da escrita e sua produção, voltada ao ensino-aprendizagem de um gênero, com ações pedagógicas alinhadas às práticas sociais dos alunos da Educação de Jovens e Adultos. Para isso, buscamos elencar quais características formais e funcionais do gênero autobiografia seriam necessárias para a elaboração de um modelo didático voltado à EJA e, baseado nesse modelo, elaboramos oficinas de escrita que proporcionassem aos alunos a ampliação da competência escrita. Além dessa proposição, com o objetivo de valorizar a escrita e as histórias de vida dos alunos, organizamos um livro coletivo com as autobiografias escritas, a ser disponibilizado na biblioteca da escola. A pesquisa tomou como base o método da pesquisa-ação, em face da necessidade de promover uma mudança (ação) e a compreensão de um problema (pesquisa), com vistas a sua solução, por meio da participação de seus agentes, e foi submetida à avaliação do Conselho de Ética da Universidade de Pernambuco que emitiu o parecer de aprovação de nº.&nbsp; 2.881.190. A fundamentação teórica realizou-se por meio de estudos que tratam a concepção da linguagem escrita como forma de interação entre os sujeitos, segundo Antunes (2003, 2014), Bakhtin (1997), Geraldi (1995), Kato (1988), Koch (2012), Lejeune (2008), Marcuschi (2008, 2010) e Soares (2002 e 2009).</p> José Edson Bentzen Rossana Regina Guimarães Ramos Henz Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 158 187 PROJETO TAM TAM http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/884 <p>Estuda-se a política de desinstitucionalização de pacientes da Casa de Saúde Mental Anchieta, de Santos, na década de 90 e suas consequências ao longo de 30 anos. São objetivos deste trabalho: i) refletir acerca da reforma psiquiátrica no Brasil, de modo sintético e ii) descrever o processo de criação e implantação do trabalho de desinstitucionalização de doentes mentais com linguagens artísticas e midiáticas no Centro de Convivência TAM TAM que adveio a partir da intervenção na Casa Anchieta, antigo manicômio em Santos, São Paulo. Como método de pesquisa, utilizou-se o estudo de caso com base em documentos arquivados ao longo da vida do pesquisador e outros disponíveis no site da instituição e sua página na rede social. Os resultados obtidos revelam o evidente sucesso do Projeto TAM TAM nos seus objetivos em devolver a dignidade ao interno, promovendo a inclusão social com a utilização de diversas atividades culturais e artísticas, mesmo após 30 anos da intervenção. Conclui-se que a desospitalização de pacientes mentais e sua inclusão social pode trazer benefícios para a sociedade e para todos os envolvidos e que políticas públicas neste sentido podem ser duradouras se se investir vontade política.</p> Luci Mendes de Melo Christian Cardim Dias Francisco Carlos Franco Celi Langhi Renan Antonio da Silva Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 188 210 A IMPORTÂNCIA DA ABORDAGEM DE CONTEÚDOS DE BIOLOGIA DO ENSINO MÉDIO VOLTADA PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/985 <p>Este estudo traz à tona a importância de refletir sobre conceitos relacionados à Educação em Saúde e sobre o papel do professor de Biologia e áreas afins quanto à abordagem dos conteúdos do Ensino Médio de modo a transformar a escola num espaço efetivo de promoção da saúde, visto que a escola deve educar para a formação de valores e hábitos de vida mais saudáveis instrumentalizando a comunidade escolar para a intervenção individual e coletiva. O objetivo deste foi destacar a importância de trabalhar os conteúdos de Biologia no Ensino Médio com práticas educativas voltadas a promoção da saúde. Esta pesquisa bibliográfica foi desenvolvida a partir de artigos e publicações que contemplaram o tema Educação em Saúde no contexto escolar e/ou conceitos relacionados. As bases de dados utilizadas foram o Scielo, e o Google Acadêmico. Foram selecionados cinco artigos e uma dissertação de mestrado, publicados em língua portuguesa entre 2000 e 2015. Há muitas ideias em comum quanto à abordagem de conteúdos voltada para a promoção da saúde como tema transversal, como também há muito a se pesquisar, a se discutir e a se pensar quanto à formação e preparo dos profissionais da educação básica. Foi possível constatar a importância da abordagem dos conteúdos de Biologia voltada para a promoção da saúde, mas verificou-se também a necessidade de realizar atualizações nos conteúdos e currículos escolares e de cursos de formação de professores além dos projetos políticos pedagógicos. Os resultados apontam para a necessidade de dar continuidade às pesquisas sobre educação em saúde.</p> Patrícia Pâmela Pereira Viana Moraes René Geraldo Cordeiro Silva Junior Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 211 223 OS MOSAICOS GEOGRÁFICOS: http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/883 <p>Este artigo apresenta uma prática pedagógica que fez parte de um projeto de formação continuada desenvolvido no ano de 2019 com os/as Professores/as de uma Rede Municipal de ensino catarinense. O objetivo desta prática pedagógica realizada com Professores/as de Geografia, denominada Mosaico Geográfico, foi criar imagens que operassem temáticas geográficas na perspectiva de atravessar e expressar subjetivamente alguns conteúdos e conceitos da Geografia Escolar. Em termos práticos, o procedimento metodológico adotado foi inspirado na técnica de mosaico, envolvendo vinte e um professores/as de Geografia que atuam nos Anos Finais do Ensino Fundamental. A construção desta prática pedagógica desenvolvida em um dos momentos do referido projeto de formação continuada se deu por considerarmos substanciais para que Professores/as de Geografia desenvolvam uma relação empírica e experimental por meio de fazeres educacionais com temáticas da Geografia Escolar que mobilizam e ressignificam tais temas trabalhados curricularmente nos Anos Finais do Ensino Fundamental.</p> Rosa Elisabete Militz Wypyczynski Martins Luiz Martins Junior Larissa Corrêa Firmino Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 275 297 AVALIAR, CONHECER E INTERVIR: UMA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PETROLINA - PE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/921 <p>Neste texto são retratadas as Políticas de Avaliação adotadas na rede de ensino de Petrolina-PE, com o intuito de investigar os fatores e as ações que contribuíram para avanços nos índices educacionais do município, tendo como finalidade a compreensão mais abrangente do sistema avaliativo implementado. O objetivo é descrever e analisar a Política de Avaliação da Rede Municipal de Petrolina – PARMEP, para identificar possíveis contribuições na Formação Continuada em desenvolvimento. Para tal, foram identificadas incidências das avaliações em larga escala, bem como ações e projetos desenvolvidos pela rede municipal a partir dos resultados da PARMEP. Para viabilizar essa pesquisa, o projeto foi submetido ao Comitê de Ética, conforme parecer nº 3.277.248, CAAEE nº 08315119.8.0000.5207, emitido no dia 23 de abril de 2019. A metodologia adotada para o desenvolvimento da investigação foi de cunho qualitativo e análise documental. Na revisão sistemática fez-se um levantamento de literatura publicada em livros, no banco de Teses e Dissertações da Capes e no sitio do Scielo. O aporte teórico conta com os seguintes autores: Fernandes (2010), Silva (2010), Horta Neto (2017), Pimenta (2002), Imbernón (2010), Silva (2015), Gomes (2015), Gonçalves (2005), Bonamino (2002 e 2012) e Pestana (1999). A análise da experiência de avaliação descrita nesse texto, leva-nos a refletir sobre a urgência da produção de conhecimentos que possam orientar as práticas dirigidas a Avaliação Educacional além de favorecer o diagnóstico e a intervenção efetiva na realidade. A pesquisa pretende contribuir com a formulação de políticas educacionais da rede municipal de Ensino, por meio da identificação de ações desenvolvidas nas escolas que tenham&nbsp;&nbsp; favorecido a aprendizagem das crianças.</p> Lucineide de Souza Iracema Campos Cusati Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 224 248 EDUCAÇÃO CONTEXTUALIZADA E REPRESENTAÇÃO SOCIAL SOBRE ESTUDANTES MARGINALIZADOS EM “ESCRITORES DA LIBERDADE” http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/87 <p>Este artigo tem como intuito identificar qual deve ser o papel da educação contextualizada em escolas públicas, e como essa pode colaborar para a construção de outras representações sociais dos estudantes marginalizados sobre si mesmo. Para tanto, foi analisado o filme “<em>Escritores da Liberdade</em>” (2007), um longa-metragem baseado em fatos reais, que apresenta um contexto escolar que preza pela educação tradicional, hierárquica, onde o educando não possui conhecimento próprio, voz, e muito menos autonomia, mas que é modificado por uma jovem professora que se preocupa em valorizar a história de vida de cada estudante norte-americano, filhos e filhas de imigrantes, que residem nos subúrbios de Los Angeles. Os principais recursos metodológicos utilizados foram a análise da imagem em movimento e análise do discurso, que indicaram como a prática de uma educação contextualizada faz com que os discentes compreendam a vida fora da escola, interligando-a aos conteúdos ministrados na sala de aula, transformando seus modos de pensar, de viver, de se relacionar com o mundo; e colaborando para a construção de outras representações sociais dos estudantes sobre eles mesmos, uma vez que, ao adquirirem autonomia e autoestima, as imagens que constituíam sobre si, são alteradas.</p> Lorena Santiago Simas Carla Conceição da Silva Paiva Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-31 2019-12-31 10 21 249 274 PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/506 <p>Neste artigo delineamos as principais perspectivas e desafios da Educação Inclusiva no Brasil através de uma revisão bibliográfica. Para tanto, apontamos que historicamente a inclusão desde o seu surgimento passou por diversas etapas e movimentos que lhes trouxe muitos desafios. No Brasil, em termos legislativos o documento que a fundamenta é a Constituição Federal de 1988, que passou a exigir o respeito ao diferente, isto é a diversidade. O estudo em questão, busca compreender a respeito das perspectivas e desafios da Educação Inclusiva. A coleta de dados foi realizada na base de periódicos da Capes, a partir de artigos publicados especificamente no período de 2014 a 2017. Como critérios de inclusão utilizou-se o descritor “Educação Inclusiva”, área e período de publicação (Educação, Psicologia e Educação Especial /2014 a 2017), e artigos em português. Assim, percebemos que inserir portadores e não portadores de necessidades em salas de aula de escolas comuns ainda continua sendo um grande desafio político e social. Nesse sentido, a pesquisa foi conduzida através da categorização dos dados, que foram organizados e avaliados em descritores, sendo eles: Temáticas abordadas, Tipos de Estudo, Lócus, Nível Educacional, Público alvo ou Participantes e Desafios da Educação Inclusiva. A partir dos mesmos buscamos confrontar e/ou relacionar as informações presentes em cada publicação.&nbsp;</p> Myrella Lopes de Souza Alexsandro dos Santos Machado Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-12-13 2019-12-13 10 21 24 49 DADOS SOBRE AS PUBLICAÇÕES DA REVASF http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/746 <p>DADOS SOBRE AS PUBLICAÇÕES DA REVASF</p> Marcelo Silva de Souza Ribeiro Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-10-13 2019-10-13 10 21 POBREZA E (IN) SEGURIDADE ALIMENTAR http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/590 <p>Esse artigo aborda a relação entre pobreza e (in) segurança alimentar, explicitando os esforços dos vários governos, a partir do estado novo no Brasil, para implantar políticas públicas de combate à pobreza, na perspectiva de valorização da qualidade de vida da população. Os estudos do médico Josué de Castro (2019), subsidiaram essas políticas, apontando a fome não apenas como falta de alimento no organismo, mas como algo mais complexo, que envolve a ausência da saúde e a precocidade da morte, sobretudo em crianças e idosos. O Sisteminha Integrado de Produção aqui descrito como experiência exitosa, destina-se a famílias que têm pouca terra e quase nenhum recurso financeiro, é executado em sistema modular com revezamento semanal de plantios, trazendo como consequência a seguridade alimentar da família, bem como, a geração de excedente para comercialização.</p> René Geraldo Cordeiro Silva Junior Luiz Carlos Guilherme Henrique Pereira de Aquino Macio Fabricio Santos Leite Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-09-22 2019-09-22 10 21 4 23 USO DE METODOLOGIAS ATIVAS EM PRÁTICAS EDUCATIVAS EM SAÚDE COM ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/449 <p>O objetivo deste trabalho foi descrever experiências vivenciadas por um grupo de acadêmicos e uma docente do colegiado de enfermagem, da Universidade Federal do Vale do São Francisco - Univasf, durante atividades do componente curricular Núcleo Temático, intitulado "Promoção à saúde no Processo de viver Humano: atenção à saúde da mulher". A metodologia utilizada esteve embasada na perspectiva de oficinas em dinâmica de grupo e a técnica de observação participante. Foram desenvolvidas cinco oficinas, onde foram trabalhados os temas geradores: afeto, higiene íntima e secreção vaginal, câncer de mama e colo de útero, infecções sexualmente transmissíveis, desigualdades de gênero e violência contra a mulher. Discutir a promoção e prevenção da saúde com adolescentes institucionalizadas se deu de fundamental importância pelo o grau de vulnerabilidade ao qual elas foram expostas, pela carência afetiva e a necessidade de conhecimentos básicos sobre suas peculiaridades de saúde. O uso de metodologias ativas se configurou de forma positiva por facilitar a compreensão das temáticas abordadas e a inserção dos discentes no ambiente de práticas. &nbsp;Nesse contexto, a educação em saúde em instituições de acolhimento de adolescentes se faz necessária devido ao fato destas se encontrarem fragilizadas.</p> Dhessika Riviery Rodrigues dos Santos Costa Fernando Vitor Alves Campos Margaret Olinda de Souza Carvalho e Lira Millena Coelho Guimarães Sueleen Thaisa Henrique de Souza Thaysa Maria Vieira Justino Vanessa Victória Araújo Pereira Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-08-15 2019-08-15 10 21 298 327 UNIVERSITY TEACHERS OF PHYSICAL EDUCATION COURSES http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/554 <div class="page" title="Page 1"> <div class="layoutArea"> <div class="column"> <p>The objective of this investigation was to apprehend the corporal representations on facebook of university professors of Physical Education of Brazil and Spain. The Theory of Social Representations and the Studies of Cyberculture have theoretically supported this qualitative research, with a descriptive and analytical approach. They were used as instruments of data production with the 12 teachers: images of the facebook profile, a semi-structured questionnaire and also the dialogues through Messenger that were analyzed through the Content Analysis Technique. The body and its pedagogies teach us new ways of perceiving and constructing educational and pedagogical processes based on the ephemeral light and sweeping brilliance of the metamorphosed bodies. We learn bodily representations of teachers with a view of the spectacle, self-promotion, exhibition contemplation of himself, realizing the cutouts and strategies, through the identification of the fantastic body narratives that populate the modes of being of these subjects and also describe the subjectivities produced by this group of university professors, from their experiences expressed in the images and also in their interactions in this virtual territory. Demonstrating the multiple possibilities of being themselves through these constructed bodily/social narratives</p> </div> </div> </div> Ramon Missias-Moreira Alvaro Rego Millen Neto Roberta de Sousa Mélo Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-08-07 2019-08-07 10 21 447 468 REVISITANDO AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS POR ALUNOS E DOCENTES DE UM INSTITUTO DE EDUCAÇÃO FLUMINENSE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/552 <p>Este estudo procurou conhecer indícios das representações sociais de formação para o magistério elaboradas por professores e alunos concluintes de Curso Normal Médio. A coleta de dados foi realizada em instituição localizada na cidade do Rio de Janeiro, inaugurada em 1959, ainda hoje considerada referência no ensino. A coleta de dados compreendeu atividades de observação nas dependências do instituto, registradas em diário de campo reflexivo, e aplicação de um teste de associação livre a 66 professores e 188 formandos em 2009. A partir da expressão indutora “formação para o magistério” os participantes associaram três palavras, expressões ou frases que lhes ocorriam quando aquela foi mencionada. Solicitou-se também que justificassem as palavras escolhidas. As palavras evocadas foram submetidas ao software EVOC que identifica os possíveis elementos do núcleo central(NC) considerando a frequência(F) e a ordem média(OME). O NC da representação social de “formação para o magistério” para aos professores é composto pelos elementos ‘compromisso, vocação e educação’; para os formandos, os elementos são ‘educação, responsabilidade e vocação’. Identificadas essas centralidades, buscou-se entender o conteúdo das representações recorrendo-se às justificativas elaboradas pelos participantes. O resultado da pesquisa surpreendeu ao pesquisador. Todavia a partir de 2012 começa a se desvelar a partir de novos profissionais que chegam ao instituto e não concordam com o modelo de formação de professores, gerando um certo conflito. Em 2015 ocorre o desfecho quando o investigador descobre que a profissionalização do curso se dá através de livros de autoajuda, confirmando efetivamente para esse a veracidade da investigação.</p> Luiz Fernandes da Costa Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-08-06 2019-08-06 10 21 404 422 A REPRESENTAÇÃO DA FELICIDADE NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/551 <div class="page" title="Page 1"> <div class="layoutArea"> <div class="column"> <p>Este artigo tem por objetivo analisar a representação da felicidade na sociedade contemporânea. Na introdução, identifica no status social a principal motivação da felicidade, no entanto, mais do que atingir o status em si, a imagem que ele projeta é o verdadeiro motivo. Assim, o status social está diretamente ligado à capacidade de consumo, por isso, a propaganda de serviços e bens explora ao máximo esta ansiedade. Desta forma, a representação da felicidade como status e capacidade de consumo gera o efeito de um adoecimento psíquico coletivo, como se tem observado em nossa sociedade com doenças psicológicas que se tornaram epidêmicas. Na primeira parte, demonstra que as sociedades grega e romana, pela visão dos filósofos, também apresentava este problema e isto resultava num fenômeno semelhante ao descrito acima. Na segunda parte, demonstra que nossa sociedade tem pouca autoconsciência de suas ilusões, por isso, utilizamos o olhar alheio para compreendermos a origem deste adoecimento psíquico coletivo. Por fim, na terceira parte, ainda com a ajuda dos filósofos, especialmente Cícero e Sêneca, demonstra que o autoconhecimento é o melhor meio de defesa contra esta pressão pelo status e pelo consumo, para tanto, formula o conceito de vida autêntica considerando-a como um processo dinâmico de autoconhecimento.</p> </div> </div> </div> José Benedito de Almeida Júnior Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-08-06 2019-08-06 10 21 386 403 PARALIMPÍADAS ESCOLARES http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/550 <p>Paralimpíadas Escolares é uma competição esportiva para estudantes com deficiência, organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Na maioria dos estados brasileiros são realizadas competições seletivas visando compor as delegações que disputam a competição nacional. O objetivo do estudo é investigar que representações sociais do esporte paralímpico de alto rendimento são construídas nas/pelas Paralimpíadas Escolares no Rio Grande do Sul (RS). Para tanto, foi utilizado <em>corpus </em>documental, integrado por documentos oficiais e notícias veiculadas em mídias digitais, o qual foi submetido à técnica de análise documental. As primeiras evidências acerca do fenômeno apontam para práticas que envolveram professoras de educação física, viabilizando a inserção do RS, pela primeira vez, na referida competição nacional, com a participação de quatro estudantes. Representações sociais construídas a partir disto, culminaram na composição das seguintes ações governamentais no estado: Clínica de Esportes Paralímpicos, Festival Paralímpico e Campeonato Paradesportivo Estudantil do Rio Grande do Sul. Isto parece ter contribuído para o incremento do esporte paralímpico escolar no estado, visto que o número de participantes, a diversidade nas modalidades paralímpicas e os resultados nas Paralimpídas Escolares foram impulsionados após a implantação das ações. Desse modo, outras representações sociais passaram a ser constituídas em torno do evento, agregando novos agentes e instituições, agindo em iniciativas que circundam a busca por atletas paralímpicos. Neste cenário, o RS alavancou o seu desempenho, com seus representantes assumindo posição de destaque e conquistando vagas para outros eventos do CPB. Evidenciamos que o fomento da iniciação esportiva de estudantes com deficiência cresce em associações e clubes no estado, aproximando-os do alto rendimento. Por outro lado, as representações emergentes das escolas parecem enfraquecidas</p> Giandra Anceski Bataglion Janice Zarpellon Mazo Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-08-06 2019-08-06 10 21 353 385 REPRESENTAÇÕES DA ÁFRICA CONTEMPORÂNEA A PARTIR DA LITERATURA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/549 <p>Os profissionais do ensino de história no Brasil, a partir dos anos 90, vêm buscando reduzir a distância entre a academia e a prática em sala de aula. É nesse contexto que um recurso tradicional do currículo, ganha nova função sob a luz da História Cultural: a literatura. Longe de se deter somente naquilo que é narrado descritivamente, a Literatura, na aula de História nos permite conduzir o aluno pela economia que rodeia o livro: elementos de produção e de apropriação, como especifica Chartier. Como estudo de caso, utilizaremos títulos da literatura contemporânea africana para trabalharmos questões como produção cultural, elementos comuns e elementos particulares de diferentes sociedades da África contemporânea. Dessa forma, a partir de obras de Pepetela (Angola) e Mia Couto (Moçambique) pretendemos apresentar uma África viva, atual, e não folclorizada. Como fundamento teórico para esta tarefa recorremos à Teoria das Representações Sociais de Moscovici.</p> Ivete Batista da Silva Almeida Almeida Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-08-06 2019-08-06 10 21 330 352 O DIÁLOGO ENTRE EDUCAÇÃO E REPRESENTAÇÕES SOCIAIS NUMA ESCOLA DE REFERÊNCIA NA CIDADE PAULISTA – PE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/548 <p>Com suporte na Teoria das Representações Sociais proposta por Moscovici neste ensaio nos propusemos a apresentar como objetivo precípuo desta investigação e com o fito de lançarmos luzes, além de buscar aprofundar no âmbito acadêmico a discussão a respeito da representação social da educação no âmbito de uma escola de referência objeto deste estudo, em consonância com a realidade social na qual ela se encontra inserida, unindo-se o campo teórico ao campo empírico, tomando-se por base o objeto social que é percebido/construído por um grupo e que de igual modo contribui para revelar/velar a construção identitária desse grupo. Assim, utilizou-se como procedimento básico para levar a cabo este estudo a interrogação direta dos sujeitos pesquisados por meio da aplicação de questionários de associação livre. Trata-se de uma pesquisa de caráter exploratório, qualiquantitativa, cuja técnica empregada foi a de associação livre de palavras, de modo que as principais descobertas e/ou resultados confluíram para abarcar a prevalência da dimensão pedagógica, a qual se sobrepôs às demais dimensões, concluí-se, portanto, que o presente estudo se mostrou assaz relevante para dar um norte, a fim de prestigiar e incentivar o desenvolvimento de pesquisas que possam trazer um maior nível de aprofundamento desta instigante temática.</p> Erivan José dos Santos Rejane Dias da Silva Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2019-08-06 2019-08-06 10 21 314 329