Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf <p align="justify">Veículo digital para o registro e o intercâmbio de pesquisas, reflexões e experiências acerca da educação, de uma forma ampla, contribuindo para o avanço e o aprimoramento dos processos de ensino-aprendizagem.</p> <p align="justify">A&nbsp;Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco é um periódico quadrimestral, versão eletrônica, vinculada a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Publica artigos inéditos oriundos de pesquisas científicas, de revisões sistemáticas, de estudos teóricos&nbsp;e de relatos de experiências, além de entrevistas e resenhas de livros.&nbsp;O objetivo principal é&nbsp;divulgar pesquisas e estudos vinculados ao campo da educação, em perspectiva interdisciplinar.</p> <p align="justify">A REVASF adota sistema <em>full time</em> para publicação. Isto significa dizer que o autor não precisa aguardar todos os artigos da edição ficarem prontos para a efetiva publicação, dando mais agilidade as publicações, além de intensificar os acessos a revista. A Revasf incorpora ainda o modelo <em>Ahead of print</em>, que é a publicação antecipada dos artigos aprovados pela Comissão Editorial (com revisões parciais), contribuindo mais rapidamente para a difusão das pesquisas.</p> <p align="justify">A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos seguido, rigorosamente, o limite de 20% para a taxa de endogenia por edição (autores oriundos da Revasf). Caso haja excedente, os autores oriundos da Univasf com artigos aceitos serão escalonados para futuras edições. Esta medida visa adequação da política editorial aos padrões de avaliações&nbsp;(ver também em "Notícias").</p> <p align="justify">A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos trocando nossas fontes de "time new roman para arial"&nbsp;(ver também em "Notícias").</p> <p align="justify">Revasf fortalece política de internacionalização (ver em "Notícias").</p> <p><strong>QUALIS/CAPES (2013 - 2016):</strong></p> <p>– Área de Ensino: B1</p> <p>- Área de&nbsp;Educação: B3</p> <p>– Área Interdisciplinar: B4</p> <p>- Área de Medicina Veterinearia: B5</p> <p>- Área de Ciências Agrárias I - B5</p> <p>– Área de Psicologia: B4</p> <p>– Área Interdisciplinar: B4</p> <p>– Árera de Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo: B4</p> <p>– Área de Materiais: B5</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>INDEXAÇÕES</strong></p> <p>A REVASF está indexada no Periódicos Capes, no Portal SEER, Diadorim, Google Scholar, LivRe, Buscador Coruja.com, OASISBR, Latindex, Portal openAIRE, Apache Open Archives, OAJI Open Academic Journals Index, Ibict OASISBR no Diretório de Periódicos Nacionais de Educação e integrada a LatinRev.</p> <p align="justify">&nbsp;</p> pt-BR <p>&nbsp;</p> <p>• O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do artigo na revista.<br>• O(s) autor(es) garante(m) que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s).<br>• A revista não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es).<br>• É reservado aos editores o direito de proceder ajustes textuais e de adequação do artigos às normas da publicação.</p> <p>• Os Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:<br><br></p> <ol> <li>Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a title="Creative Commons" href="https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/">Creative Commons Attribution License</a>, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado.</li> </ol> mribeiro27@gmail.com (Prof. Marcelo Silva de Souza Ribeiro) Qui, 15 Ago 2019 12:26:23 +0000 OJS 3.1.2.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Edição completa http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/560 <p>Edição completa</p> Marcelo Silva de Souza Ribeiro Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/560 Sáb, 17 Ago 2019 00:00:00 +0000 USO DE METODOLOGIAS ATIVAS EM PRÁTICAS EDUCATIVAS EM SAÚDE COM ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/449 <p>O objetivo deste trabalho foi descrever experiências vivenciadas por um grupo de acadêmicos e uma docente do colegiado de enfermagem, da Universidade Federal do Vale do São Francisco - Univasf, durante atividades do componente curricular Núcleo Temático, intitulado "Promoção à saúde no Processo de viver Humano: atenção à saúde da mulher". A metodologia utilizada esteve embasada na perspectiva de oficinas em dinâmica de grupo e a técnica de observação participante. Foram desenvolvidas cinco oficinas, onde foram trabalhados os temas geradores: afeto, higiene íntima e secreção vaginal, câncer de mama e colo de útero, infecções sexualmente transmissíveis, desigualdades de gênero e violência contra a mulher. Discutir a promoção e prevenção da saúde com adolescentes institucionalizadas se deu de fundamental importância pelo o grau de vulnerabilidade ao qual elas foram expostas, pela carência afetiva e a necessidade de conhecimentos básicos sobre suas peculiaridades de saúde. O uso de metodologias ativas se configurou de forma positiva por facilitar a compreensão das temáticas abordadas e a inserção dos discentes no ambiente de práticas. &nbsp;Nesse contexto, a educação em saúde em instituições de acolhimento de adolescentes se faz necessária devido ao fato destas se encontrarem fragilizadas.</p> Dhessika Riviery Rodrigues dos Santos Costa, Fernando Vitor Alves Campos, Margaret Olinda de Souza Carvalho e Lira, Millena Coelho Guimarães, Sueleen Thaisa Henrique de Souza, Thaysa Maria Vieira Justino, Vanessa Victória Araújo Pereira Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/449 Qui, 15 Ago 2019 12:26:12 +0000 UNIVERSITY TEACHERS OF PHYSICAL EDUCATION COURSES http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/554 <div class="page" title="Page 1"> <div class="layoutArea"> <div class="column"> <p>The objective of this investigation was to apprehend the corporal representations on facebook of university professors of Physical Education of Brazil and Spain. The Theory of Social Representations and the Studies of Cyberculture have theoretically supported this qualitative research, with a descriptive and analytical approach. They were used as instruments of data production with the 12 teachers: images of the facebook profile, a semi-structured questionnaire and also the dialogues through Messenger that were analyzed through the Content Analysis Technique. The body and its pedagogies teach us new ways of perceiving and constructing educational and pedagogical processes based on the ephemeral light and sweeping brilliance of the metamorphosed bodies. We learn bodily representations of teachers with a view of the spectacle, self-promotion, exhibition contemplation of himself, realizing the cutouts and strategies, through the identification of the fantastic body narratives that populate the modes of being of these subjects and also describe the subjectivities produced by this group of university professors, from their experiences expressed in the images and also in their interactions in this virtual territory. Demonstrating the multiple possibilities of being themselves through these constructed bodily/social narratives</p> </div> </div> </div> Ramon Missias-Moreira, Alvaro Rego Millen Neto, Roberta de Sousa Mélo Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/554 Qua, 07 Ago 2019 00:00:00 +0000 REVISITANDO AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS POR ALUNOS E DOCENTES DE UM INSTITUTO DE EDUCAÇÃO FLUMINENSE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/552 <p>Este estudo procurou conhecer indícios das representações sociais de formação para o magistério elaboradas por professores e alunos concluintes de Curso Normal Médio. A coleta de dados foi realizada em instituição localizada na cidade do Rio de Janeiro, inaugurada em 1959, ainda hoje considerada referência no ensino. A coleta de dados compreendeu atividades de observação nas dependências do instituto, registradas em diário de campo reflexivo, e aplicação de um teste de associação livre a 66 professores e 188 formandos em 2009. A partir da expressão indutora “formação para o magistério” os participantes associaram três palavras, expressões ou frases que lhes ocorriam quando aquela foi mencionada. Solicitou-se também que justificassem as palavras escolhidas. As palavras evocadas foram submetidas ao software EVOC que identifica os possíveis elementos do núcleo central(NC) considerando a frequência(F) e a ordem média(OME). O NC da representação social de “formação para o magistério” para aos professores é composto pelos elementos ‘compromisso, vocação e educação’; para os formandos, os elementos são ‘educação, responsabilidade e vocação’. Identificadas essas centralidades, buscou-se entender o conteúdo das representações recorrendo-se às justificativas elaboradas pelos participantes. O resultado da pesquisa surpreendeu ao pesquisador. Todavia a partir de 2012 começa a se desvelar a partir de novos profissionais que chegam ao instituto e não concordam com o modelo de formação de professores, gerando um certo conflito. Em 2015 ocorre o desfecho quando o investigador descobre que a profissionalização do curso se dá através de livros de autoajuda, confirmando efetivamente para esse a veracidade da investigação.</p> Luiz Fernandes da Costa Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/552 Ter, 06 Ago 2019 21:20:27 +0000 A REPRESENTAÇÃO DA FELICIDADE NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/551 <div class="page" title="Page 1"> <div class="layoutArea"> <div class="column"> <p>Este artigo tem por objetivo analisar a representação da felicidade na sociedade contemporânea. Na introdução, identifica no status social a principal motivação da felicidade, no entanto, mais do que atingir o status em si, a imagem que ele projeta é o verdadeiro motivo. Assim, o status social está diretamente ligado à capacidade de consumo, por isso, a propaganda de serviços e bens explora ao máximo esta ansiedade. Desta forma, a representação da felicidade como status e capacidade de consumo gera o efeito de um adoecimento psíquico coletivo, como se tem observado em nossa sociedade com doenças psicológicas que se tornaram epidêmicas. Na primeira parte, demonstra que as sociedades grega e romana, pela visão dos filósofos, também apresentava este problema e isto resultava num fenômeno semelhante ao descrito acima. Na segunda parte, demonstra que nossa sociedade tem pouca autoconsciência de suas ilusões, por isso, utilizamos o olhar alheio para compreendermos a origem deste adoecimento psíquico coletivo. Por fim, na terceira parte, ainda com a ajuda dos filósofos, especialmente Cícero e Sêneca, demonstra que o autoconhecimento é o melhor meio de defesa contra esta pressão pelo status e pelo consumo, para tanto, formula o conceito de vida autêntica considerando-a como um processo dinâmico de autoconhecimento.</p> </div> </div> </div> José Benedito de Almeida Júnior Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/551 Ter, 06 Ago 2019 21:14:38 +0000 PARALIMPÍADAS ESCOLARES http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/550 <p>Paralimpíadas Escolares é uma competição esportiva para estudantes com deficiência, organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Na maioria dos estados brasileiros são realizadas competições seletivas visando compor as delegações que disputam a competição nacional. O objetivo do estudo é investigar que representações sociais do esporte paralímpico de alto rendimento são construídas nas/pelas Paralimpíadas Escolares no Rio Grande do Sul (RS). Para tanto, foi utilizado <em>corpus </em>documental, integrado por documentos oficiais e notícias veiculadas em mídias digitais, o qual foi submetido à técnica de análise documental. As primeiras evidências acerca do fenômeno apontam para práticas que envolveram professoras de educação física, viabilizando a inserção do RS, pela primeira vez, na referida competição nacional, com a participação de quatro estudantes. Representações sociais construídas a partir disto, culminaram na composição das seguintes ações governamentais no estado: Clínica de Esportes Paralímpicos, Festival Paralímpico e Campeonato Paradesportivo Estudantil do Rio Grande do Sul. Isto parece ter contribuído para o incremento do esporte paralímpico escolar no estado, visto que o número de participantes, a diversidade nas modalidades paralímpicas e os resultados nas Paralimpídas Escolares foram impulsionados após a implantação das ações. Desse modo, outras representações sociais passaram a ser constituídas em torno do evento, agregando novos agentes e instituições, agindo em iniciativas que circundam a busca por atletas paralímpicos. Neste cenário, o RS alavancou o seu desempenho, com seus representantes assumindo posição de destaque e conquistando vagas para outros eventos do CPB. Evidenciamos que o fomento da iniciação esportiva de estudantes com deficiência cresce em associações e clubes no estado, aproximando-os do alto rendimento. Por outro lado, as representações emergentes das escolas parecem enfraquecidas</p> Giandra Anceski Bataglion, Janice Zarpellon Mazo Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/550 Ter, 06 Ago 2019 21:08:42 +0000 REPRESENTAÇÕES DA ÁFRICA CONTEMPORÂNEA A PARTIR DA LITERATURA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/549 <p>Os profissionais do ensino de história no Brasil, a partir dos anos 90, vêm buscando reduzir a distância entre a academia e a prática em sala de aula. É nesse contexto que um recurso tradicional do currículo, ganha nova função sob a luz da História Cultural: a literatura. Longe de se deter somente naquilo que é narrado descritivamente, a Literatura, na aula de História nos permite conduzir o aluno pela economia que rodeia o livro: elementos de produção e de apropriação, como especifica Chartier. Como estudo de caso, utilizaremos títulos da literatura contemporânea africana para trabalharmos questões como produção cultural, elementos comuns e elementos particulares de diferentes sociedades da África contemporânea. Dessa forma, a partir de obras de Pepetela (Angola) e Mia Couto (Moçambique) pretendemos apresentar uma África viva, atual, e não folclorizada. Como fundamento teórico para esta tarefa recorremos à Teoria das Representações Sociais de Moscovici.</p> Ivete Batista da Silva Almeida Almeida Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/549 Ter, 06 Ago 2019 21:02:43 +0000 O DIÁLOGO ENTRE EDUCAÇÃO E REPRESENTAÇÕES SOCIAIS NUMA ESCOLA DE REFERÊNCIA NA CIDADE PAULISTA – PE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/548 <p>Com suporte na Teoria das Representações Sociais proposta por Moscovici neste ensaio nos propusemos a apresentar como objetivo precípuo desta investigação e com o fito de lançarmos luzes, além de buscar aprofundar no âmbito acadêmico a discussão a respeito da representação social da educação no âmbito de uma escola de referência objeto deste estudo, em consonância com a realidade social na qual ela se encontra inserida, unindo-se o campo teórico ao campo empírico, tomando-se por base o objeto social que é percebido/construído por um grupo e que de igual modo contribui para revelar/velar a construção identitária desse grupo. Assim, utilizou-se como procedimento básico para levar a cabo este estudo a interrogação direta dos sujeitos pesquisados por meio da aplicação de questionários de associação livre. Trata-se de uma pesquisa de caráter exploratório, qualiquantitativa, cuja técnica empregada foi a de associação livre de palavras, de modo que as principais descobertas e/ou resultados confluíram para abarcar a prevalência da dimensão pedagógica, a qual se sobrepôs às demais dimensões, concluí-se, portanto, que o presente estudo se mostrou assaz relevante para dar um norte, a fim de prestigiar e incentivar o desenvolvimento de pesquisas que possam trazer um maior nível de aprofundamento desta instigante temática.</p> Erivan José dos Santos, Rejane Dias da Silva Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/548 Ter, 06 Ago 2019 20:56:39 +0000 Apresentação do Dossiê http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/545 <p>O objetivo central desse Dossiê composto por 09 artigos é disseminar investigações e estudos que tenham a Teoria das Representações Sociais (TRS) como âncora para o desenvolvimento das pesquisas na interface interdisciplinar da Educação. Como está sendo apresentado uma grande diversidade de propostas isso nos demonstra a vivacidade do tema e sua consistente utilidade para abordagens qualitativas nas ciências humanas e sociais. Representações Sociais é uma expressão filosófica que traduz a apreensão específica e particular de determinado fenômeno que, pela sua estrutura sólida dentro de uma dada cultura, reverbera nas práticas e nos comportamentos que se reproduzem de maneira inteiramente naturalizada. Colocando de uma outra forma, as representações são as elucubrações mentais socialmente construídas, a partir da relação dinâmica estabelecida entre a prática social e a atividade psíquica de uma pessoa. É nesse contexto que tem sido essencial desenvolver estudos no campo da Educação com suporte da TRS porque colabora na explicação e compreensão de fatos educativos específicos que surgem nos processos presentes</p> Ramon Missias Moreira Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/545 Ter, 06 Ago 2019 14:40:21 +0000 DESAFIOS DA DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA EM SAÚDE http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/546 <p>Com suporte na Teoria das Representações Sociais proposta por Moscovici neste ensaio nos propusemos a apresentar como objetivo precípuo desta investigação e com o fito de lançarmos luzes, além de buscar aprofundar no âmbito acadêmico a discussão a respeito da representação social da educação no âmbito de uma escola de referência objeto deste estudo, em consonância com a realidade social na qual ela se encontra inserida, unindo-se o campo teórico ao campo empírico, tomando-se por base o objeto social que é percebido/construído por um grupo e que de igual modo contribui para revelar/velar a construção identitária desse grupo. Assim, utilizou-se como procedimento básico para levar a cabo este estudo a interrogação direta dos sujeitos pesquisados por meio da aplicação de questionários de associação livre. Trata-se de uma pesquisa de caráter exploratório, qualiquantitativa, cuja técnica empregada foi a de associação livre de palavras, de modo que as principais descobertas e/ou resultados confluíram para abarcar a prevalência da dimensão pedagógica, a qual se sobrepôs às demais dimensões, concluí-se, portanto, que o presente estudo se mostrou assaz relevante para dar um norte, a fim de prestigiar e incentivar o desenvolvimento de pesquisas que possam trazer um maior nível de aprofundamento desta instigante temática.</p> Amanda Maria Villas Boas Ribeiro, Maria Lúcia Silva Servo Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/546 Ter, 06 Ago 2019 00:00:00 +0000 AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS PROFESSORES DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO BELMONTE SOBRE TDAH http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/547 <p>Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é uma condição comportamental caracterizada por um padrão persistente de hiperatividade, desatenção e impulsividade. Tendo em vista a complexidade do quadro e sua relação direta com o processo de escolarização, o conhecimento do TDAH entre professores é fundamental para a compreensão do processo de ensino-aprendizagem e das dificuldades associadas a ele. Esta pesquisa busca compreender as Representações sociais (RS) dos professores do primeiro ano do ensino fundamental do município de São José do Belmonte sobre TDAH, no sentido de minimizar seus impactos em níveis individuais e coletivos. Esta pesquisa nos possibilitou discorrer sobre a importância da inserção de novas especialidades no âmbito educacional, entre elas o profissional de psicologia. Foram entrevistadas 15 professoras da rede municipal de São José do Belmonte-PE que aceitaram participar da pesquisa assinando o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os dados foram coletados em novembro de 2014 através da Técnica de Associação Livre de Palavras (TALP), visando emergir associações relativas à opinião dos professores diante das seguintes questões: Atenção é...; Hiperatividade é...; Déficit é...; Transtorno é... Os dados foram examinados com base no software EVOC, organizados de acordo com a técnica dos quatro quadrantes de Vergès e analisados por meio da Teoria do Núcleo Central de Jean-Claude Abric (2003). Muitos professores admitem ter limitações para atuar com crianças com o TDAH por não ter conhecimento teórico suficiente para discorrer com propriedade sobre o assunto, no entanto, a prática lhe permite adaptar sua metodologia às necessidades do dia a dia.</p> Andréia Alves Moura , Heleno Pereira Nunes Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/547 Ter, 06 Ago 2019 00:00:00 +0000 CAMPOS DE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/553 <div class="page" title="Page 1"> <div class="layoutArea"> <div class="column"> <p>Este estudo intenta mostrar os campos de representações sociais de avaliação de aprendizagem, a partir de uma pesquisa de campo com vinte estudantes concluintes do curso de licenciatura em ciências biológicas do agreste pernambucano. A investigação teve como aporte no campo de representação, dimensões e imagem, do pensamento moscoviciiano. E o entendimento luckesiiano sobre a avaliação da aprendizagem, no que concerne aos atos de examinar e avaliar. O estudo mostrou que os discentes revelaram dois campos de representação: Avaliação como ato de examinar representado por provas, notas, aprovações e reprovação; e avaliação como processo (avaliação formativa). Assim, os dados corroboram para o pensamento de que os estudantes estão incorporando à avaliação processual formativa, visando criticar o modelo de avaliação como ato de examinar por provas (notas). A pesquisa sinaliza para ampliação dos estudos sobre a avaliação da aprendizagem para os cursos das demais licenciaturas e de forma especial para as questões de avaliação quanto ao ato de examinar e ato de avaliar.</p> </div> </div> </div> Vera Lúcia Chalegre de Freitas , Natália Couto de Almeida Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/553 Ter, 06 Ago 2019 00:00:00 +0000 Expediente http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/543 <p>Expediente</p> Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/543 Qua, 31 Jul 2019 15:06:37 +0000 A RELEVÂNCIA DAS INTERAÇÕES PSICOSSOCIAIS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO AMBIENTE ESCOLAR http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/458 <p>Neste estudo, discute-se a relevância das interações psicossociais no processo de ensino-aprendizagem dentro de um ambiente escolar. Tem como objetivo geral, analisar o processo de socialização da criança e do adolescente com a inserção da psicopedagogiadentro do espaço escolar. Esse estudo se efetivou mediante uma revisão integrativa orientada pela abordagem qualitativa, as quais serão explicadas mais adiante. O aprendizado é uma atividade interativa que se realiza no ambiente escolar, explorando a qualidade geral das interações psicossociais. A melhor estratégia para se avaliar é até que ponto a qualidade das interações psicossociais são relevantes no processo de ensino aprendizagem, compreender, mensurar, na medida do possível, os seus efeitos sobre o executar das atividades de ensino. É preciso ressaltar que a escola mantém uma função fundamental para o processo social, desenvolvendo as capacidades cognitivas ajudando a criança compreender que têm um mundo social. A Sociologia, Psicologia Social e a Pedagogia, pode muito contribuir para entender e explicar as causas das dificuldades de aprendizagem da criança e do adolescente na escola, seus padrões evolutivos normais e patologias, bem como a influência da família, escola e sociedade, no seu desenvolvimento. Como resultado desta pesquisa entende-se que a questão do ensino aprendizagem não é uma ação tão simplória. A escola precisa estar envolvida neste processo numa constante atuação da sua equipe, para construção de uma educação de alta qualidade.</p> Celso Sales Franca Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/458 Sáb, 27 Jul 2019 00:00:00 +0000 CLASSIFICAÇÃO DE FATORES QUE INTERFEREM NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA GRADUAÇÃO EAD VIA AVA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/195 <p>O processo de ensino-aprendizagem de matemática na Educação a Distância (EaD), <em>via</em> ambiente virtual de aprendizagem (AVA), pode ser influenciado por outras variáveis inerentes a esta nova modalidade de ensino, além dos fatores já conhecidos no ensino presencial. Nesse contexto, esse trabalho propõe um estudo de caso para classificar, na visão dos alunos, fatores que interferem na aprendizagem de matemática na graduação EaD <em>via</em> AVA. Os dados foram coletados através de um questionário aplicado a uma amostra de 109 indivíduos e tratados <em>via</em> modelo de Rasch dicotômico. A análise dos resultados mostrou que a aprendizagem é fortemente afetada pelo intervalo de tempo entre a conclusão do ensino médio e o início do curso superior, pela falta de conhecimentos básicos em matemática, seguidos pela dificuldade em organizar o tempo entre trabalho, família e estudos. A falta de interação tutor-aluno no AVA também é um dos fatores que mais interferem no processo. Por outro lado, o planejamento do professor para ministrar a disciplina, os conhecimentos adequados de informática e internet dos alunos e a ausência de problemas de acesso ao AVA são fatores que favorecem o ensino-aprendizagem de matemática nessa modalidade de ensino.</p> Evando Santos Araújo, Jaderson de Araújo Barros Barbosa Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/195 Ter, 23 Jul 2019 13:47:59 +0000 FACILIDADES E DIFICULDADES DA EDUCAÇÃO SEXUAL NA ESCOLA: PERCEPÇÕES DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/515 <p>Esta pesquisa identifica as facilidades e dificuldades da educação sexual na escola na percepção dos professores da educação básica. O estudo foi desenvolvido com professores atuantes nos anos finais (6º ao 9º ano) do ensino fundamental, utilizando questionário com perguntas abertas relacionadas à educação sexual e a prática docente. Os resultados apontaram que o tema educação sexual é muito atrativo aos escolares, o interesse no assunto decorre da curiosidade e dúvidas, que facilitam a prática docente. Porém, os pais são apontados, pelos professores, como um dos principais fatores que dificultam o desenvolvimento da educação sexual na escola, assim como a falta de preparo dos docentes. Logo, é urgente e necessário que a escola possibilite um espaço para que, junto aos familiares dos estudantes, possam discutir e refletir a importância da educação sexual, minimizando vulnerabilidades relacionadas à gravidez não planejada, ao aborto inseguro e às Infecções Sexualmente Transmissíveis. Destacamos também a importância e necessidade que os cursos de formação docente incluam nos seus currículos os estudos dos temas relacionados à sexualidade e educação sexual.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Palavras – chave: Educação sexual. Sexualidade. Escola.</p> Luciana Uchôa Barbosa, Vanderlei Folmer Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/515 Sáb, 20 Jul 2019 15:33:08 +0000 A IMPORTÂNCIA DO USO DE AULAS PRÁTICAS NO ENSINO DA BIOLOGIA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/484 <p>O objetivo desse artigo é apresentar e discutir referenciais teóricos da educação e da psicologia cognitiva, relacionados às dificuldades no processo ensino-aprendizagem de Biologia no Brasil e ao uso de aulas práticas, promovendo o desenvolvimento da metacognição, a fim de facilitar a aprendizagem. Para tanto, foi feita uma revisão de literatura nas áreas de Educação e Psicologia, focando o ensino de Biologia, com um olhar voltado para a metacognição e aulas práticas. Os resultados indicaram a importância de se considerar o papel da metacognição nesse ensino, para que o estudante desenvolva a capacidade de autorregular a construção do conhecimento. Conclui-se que a utilização de aulas práticas é uma importante ferramenta para favorecer a aprendizagem e o desenvolvimento metacognitivo dos alunos.</p> Geida Maria Cavalcanti de Sousa, Leonardo Rodrigues Sampaio, Geazi Rosa Oliveira Teotonio, Sávio Luiz Pereira Nunes Copyright (c) 2019 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/484 Sex, 05 Jul 2019 00:00:00 +0000 OS CURRÍCULOS DOS CURSOS DE AGRONOMIA E SUA INTERAÇÃO COM A POLÍTICA NACIONAL DE ATER http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/516 <p>A Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural constituiu-se, nos últimos anos, como uma ferramenta primordial para o desenvolvimento das atividades rurais voltadas para a agricultura familiar. A sua construção a partir de um processo participativo pelas diversas esferas sociais, fez dela um instrumento legítimo para as ações de assistência técnica e extensão rural promovidas pelo Estado brasileiro. Essa pesquisa teve como objetivo, analisar a interação dos currículos dos cursos de agronomia da UFRB, Univasf, UEFS e UNEB (Juazeiro) com a PNATER. A análise documental se deu a partir dos Projetos Pedagógico dos Cursos (PPC) nos itens Princípios, Perfil do Egresso e Matriz Curricular, assim como os Princípios, Objetivos e Público beneficiário da lei 12.188/2010 - Lei de Ater. A integração dos currículos dos cursos de agronomia das universidades pesquisadas se dá em níveis diferentes com a PNATER, sendo o desenvolvimento sustentável e a agroecologia contemplados em todos os PPC dos cursos pesquisados. O nível de interação diferiu pela quantidade de disciplinas e o detalhamento dessas com as temáticas da PNATER. Nesse sentido o PPC do curso de agronomia da UEFS se destacou de modo diferenciada no detalhamento de disciplinas que abordam de maneira específica a maioria dos temas da PNATER.</p> Jazon Ferreira Primo Junior, Lucia Marisy Souza Ribeiro de Oliveira, Marcia Bento Moreira Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/516 Sáb, 15 Jun 2019 17:53:45 +0000 A NATUREZA DA CIÊNCIA NO ENSINO DAS CIÊNCIAS EM PORTUGAL NA PERSPECTIVA DE PESQUISADORES PORTUGUESES http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/407 <p>Esta investigação, de natureza qualitativa, teve por objetivo evidenciar a percepção de pesquisadores portugueses a respeito de como ocorre, ou por quais motivos não ocorre, o ensino da Natureza da Ciência (NdC) nas salas de aula do Ensino Básico (EB) e Ensino Secundário (ES). O objeto de estudo foram sete entrevistas audiogravadas com pesquisadores portugueses, que eram docentes universitários com experiência em formação de professores e com publicações que relacionam História da Ciência (HC) ou História e Filosofia da Ciência ou NdC ao ensino. As entrevistas foram transcritas e analisadas segundo a metodologia da Análise Textual Discursiva. Os resultados mostraram que a NdC não é ensinada, salvo em alguns casos raros e pontuais, quase sempre relacionados com a participação de estudantes ou pesquisadores da universidade. Para os casos em que ocorre o ensino da NdC, ela é abordada via discussões com ênfase em aspectos interdisciplinares das ciências ou via atividades orientadas pelo método do ensino por investigação ou pelo uso de HC nas aulas. Já para os casos em que a NdC não faz parte do ensino praticado nas salas de aula, foram identificadas seis dificuldades inter-relacionadas, seja por ocorrerem simultaneamente ou por influenciarem umas às outras: a formação docente, a academia (os pesquisadores, a universidade, a comunidade científica), o sistema educacional e o currículo do Ensino Básico e do Ensino Secundário, as influências político-econômicas sobre a educação, os materiais didáticos (ou indisponíveis ou de baixa qualidade), e o próprio professor (desqualificado, sobrecarregado, desinteressado, desvalorizado).</p> Anderson Camatari Vilas Boas, Marinez Meneghello Passos, Nilza Maria Vilhena Nunes da Costa, Marcos Rodrigues da Silva Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/407 Seg, 10 Jun 2019 00:00:00 +0000 HISTÓRIA DO ATENDIMENTO ÀS CRIANÇAS PEQUENAS NO BRASIL: http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/426 <p>O artigo discute a política de atendimento à criança pequena no Brasil e identifica concepções e práticas relacionadas aos modelos de atendimento. Conduzimos nossas análises à luz do Materialismo Histórico Dialético, compreendendo a Educação Infantil como um campo em permanente processo de transformação. A pesquisa, de natureza qualitativa, foi realizada através de um estudo bibliográfico e documental. Foi possível concluir que, historicamente, a relação entre os discursos políticos e as práticas materializadas explicita diversas contradições e antagonismos. Também observamos que diferentes concepções de criança, infância e Educação Infantil se contrapõem e coexistem simultaneamente ao longo desse processo histórico.</p> Livia Cristina Ribeiro Reis, Telma Aparecida Teles Martins Silveira Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/426 Seg, 10 Jun 2019 00:00:00 +0000 A PEDAGOGIA EMPRESARIAL NO ÂMBITO DAS ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO: UMA REVISÃO DE LITERATURA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/231 <p>&nbsp;</p> <p><strong>RESUMO</strong></p> <p>&nbsp;O referido trabalho trata-se de uma revisão de literatura onde buscou-se pontos congruentes de autores que discutem a Pedagogia empresarial como nova perspectiva de aprendizagem no âmbito das Organizações do Conhecimento (OC). Destaca-se a importância da aprendizagem continuada no repertório dessas organizações diante do atual cenário de mudanças e transformações por que passam as instituições do século XXI. Nesse sentido, a Pedagogia ou Andragogia empresarial traz uma profunda discussão sobre o papel do pedagogo empresarial, sendo este considerado de suma importância para o desenvolvimento de habilidades e na promoção da criatividade e inovação, as quais devem ser primordiais no desenvolvimento de competências. De modo que as organizações possam realizar a sua missão e manterem-se estrategicamente posicionadas em um mercado cada vez mais competitivo e dinâmico.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> Verônica Maria Neto Lopes, Andreza Maia Silva Barbosa Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/231 Qua, 05 Jun 2019 08:55:45 +0000 ACONSELHAMENTO DE CARREIRA COM ESTUDANTES DE PSICOLOGIA DO VALE DO SÃO FRANCISCO http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/212 <p>O aconselhamento de carreira se constitui uma importante ferramenta para ajudar pessoas em seus processos de escolha de campos de atuação e de metas de carreira. Diante disso, o objetivo geral deste estudo foi compreenderexperiências de estudantes de Psicologia que participaram de processos de aconselhamento de carreira, que envolvia de quatro a cinco sessões de até uma hora e meia cada, era conduzido por um professora e um trainee e possuía as seguintes etapas: entrevista por competência; aplicação do Inventário Fatorial de Personalidade; dinâmica de grupo com os aconselhandos; análise S.W.O.T. das forças e fraquezas do aconselhando e das oportunidades e ameaças do ambiente; e, ao final, a construção conjunta, entre conselheiro e aconselhando, de uma planilha de planejamento estratégico pessoal. A pesquisa foi protocolada sob o número 0010/140613, aprovada pelo Comitê de Ética e Deontologia em Pesquisas com Seres Humanos (CEDEP) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Usando a metodologia da hermenêutica-colaborativa, foi realizada entrevista individual aberta com pergunta disparadora com quinze colaboradores, buscando-se sentidos atribuídos em comum por eles à experiência investigada. O procedimento de análise envolveu cinco passos: leitura integral de cada entrevista; encontro com as unidades de significado; presentificação do sentido da experiência para cada colaborador; envio da análise individual preliminar; síntese final dos significados em comum para todos os colaboradores entrevistados. Os resultados apontaram: ampliação da consciência de si; produção de novos modos de subjetivação; desenvolvimento da liderança, autocuidado, segurança, responsabilidade, pontualidade, habilidades interpessoais e escuta, como capacidade interpretativa de processos clínicos. Concluiu-se, principalmente, que este estudo serve como fonte de indicadores de como uma prática clínica em Psicologia Organizacional e do Trabalho pode se inserir no contexto da educação superior, como também faz repensar a formação em cursos de Psicologia para além da sala de aula.</p> Shirley Macêdo, Cristiane Alves Quirino Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/212 Dom, 12 Mai 2019 20:29:30 +0000 Relação de pareceristas http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/493 <p>Relação de pareceristas 2018 – maio de 2019</p> Marcelo Silva de Souza Ribeiro Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/493 Qui, 09 Mai 2019 00:00:00 +0000 EXISTÊNCIA INVISÍVEL http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/287 <p>Na escola, falar de sexo ainda hoje é apresentar informações sobre o tema, sem ter que assumir uma postura problematizadora e consciente. Desta forma, este estudo objetiva discutir a negação existente no espaço escolar sobre as questões da sexualidade, especificamente a homossexualidade. Para isso, foi realizada uma revisão crítica de literatura na qual analisamos, dentre outros, trabalhos apresentados no GT23 da Associação Nacional de Pós-graduação em Educação – ANPED e nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN). Apontamos a necessidade de questionar as práticas pedagógicas que não fazem cumprir o indicado pelos PCN em um de seus temas transversais, a Orientação Sexual. Para este artigo, analisamos os trabalhos publicados na ANPED entre os anos de 2009 a 2013.</p> Vitor Nascimento, Roberto Gondim Pires, Aline Gomes Machado Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/287 Sáb, 04 Mai 2019 00:00:00 +0000 INTERFACES ENTRE ACADEMIAS DE CAPOEIRA E AS ATIVIDADES PEDAGÓGICAS http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/101 <p>O presente artigo tem como intuito principal, discutir as bases históricas e ideológicas que fundamentam as Interfaces Pedagógicas entre as Academias de Capoeira: Associação Capoeira Regional de Caém, Associação de Capoeira Raízes e Negro do Engenho e o Colégio Municipal Padre Alfredo Haasler situados no Município de Caém na Bahia, a partir da análise do processo de relações das academias e o contexto escolar, suas contribuições, perspectivas e possibilidades trazendo reflexões sobre o multiculturalismo dentro do espaço escolar. Para isso foram utilizados instrumentos de coletas de dados como: as entrevistas com dois professores do supracitado colégio e três alunos membros das academias e alunos da escola e a análise documental do Projeto Político Pedagógico da instituição, fazendo uma análise do processo histórico da capoeira elemento da cultura afro e suas contribuições seguido de uma discussão sobre as suas potencialidades considerando um possível diálogo com a escola</p> Ronaldo Alves de Oliveira, Marlúcia Ribeiro Sobrinho, Antenor Rita Gomes Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/101 Seg, 29 Abr 2019 00:00:00 +0000 O APLICATIVO AURASMA E A VIABILIDADE DO SEU USO NO ENISNO DE MATEMÁTICA http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/258 <p>Este artigo apresenta um estudo exploratório do uso das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) com o apoio do aplicativo Aurasma na criação de Realidade Aumentada (RA) realizada no âmbito das atividades da disciplina Saberes e Metodologia do Ensino da Matemática 2, turnos Vespertino e Noturno, no Curso de Pedagogia, na Universidade Federal de Alagoas (UFAL). O objetivo deste estudo foi investigar as potencialidades do aplicativo Aurasma na formação do professor para o compartilhamento de ideias nos processos de ensino e de aprendizagem em Matemática. Para o universo da pesquisa participaram 36 alunos matriculados na disciplina e os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e da observação participante. Constatamos que o uso do aplicativo Aurasma pode proporcionar práticas pedagógicas capazes de dar conta das especificidades relacionadas ao ensino de Matemática de forma prazerosa, eficaz e lúdica, superando o paradigma educacional vigente.</p> Carloney Alves de Oliveira Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/258 Seg, 29 Abr 2019 00:00:00 +0000 EDUCAÇÃO E APRENDIZAGEM http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/468 <p>Este trabalho discute ateoria cognitivada aprendizagem significativa desenvolvida por DavidAusubel,onde se pretende explicaro processamento cognitivointernoque ocorre naaprendizagem.Novas informações sãoprocessadas econceitos são ancorados, de formarelevante, duranteo processo de aquisiçãodo conhecimento. Assim, este trabalho enfatiza o papel da estrutura cognitiva do aluno na aquisição de novas informações através da utilização de mapas conceituais. A teoria de David Ausubel propõe que a experiência presente é sempre montada no que o aluno já sabe, e ressalta que a estrutura cognitiva existente, que é a organização, a estabilidade de um indivíduo, a clareza de conhecimento em um campo determinado e em determinado momento é o principal fator que influencia a aprendizagem e a retenção significativa de um novo material. A estrutura cognitiva que é clara e bem organizada facilita a aprendizagem e a retenção desses conhecimentos. Assim, um mapa conceitual proporciona uma visão idiossincrática do criador sobre o fato a que se alude, ideia desenvolvida por Joseph Novak (2010). Quando o sujeito concebe um mapa, ele expressa a sua visão madura e clara sobre um tema. Dessa forma, quando um aluno ou professor constrói o seu mapa cognitivo, ele amplia e experimenta a sua capacidade de apreender as generalidades e distinções do ponto escolhido. Ele pode construir uma hierarquia conceitual, desde as características mais gerais até as mais específicas, tornando visível a diferenciação progressiva. Dessa forma, a teoria da aprendizagem significativa de Ausubel e a elaboração de mapas conceituais de Novak tornam-se um estudo de referência no campo da aprendizagem e da inteligência, que formam a base da integração de pensamentos construtivos, sentimentos e ações.</p> Liércio Pinheiro de Araújo, Robson Lúcio Silva de Menezes Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/468 Qua, 17 Abr 2019 18:58:13 +0000 Edição completa vol 9, n 18, abril. 2019 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/460 <p>Edição completa vol 9, n 18, abril. 2019</p> Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/460 Qua, 03 Abr 2019 12:48:37 +0000 DESAFIOS E POSSIBILIDADES DO ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNOS SURDOS NA ESCOLA REGULAR http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/459 <p>O presente estudo teve como objetivo identificar quais são os desafios e possibilidades percebidos no trabalho dos professores dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (AIEF) em relação às aulas de Matemática para alunos surdos, frente aos princípios da teoria sócio histórica. A pesquisa caracteriza-se como qualitativa,com a utilizaçãodométododialético.Para tanto, foram realizadas observações nas aulas de Matemática da professora do ensino regular, durante aproximadamente duas semanas ou o correspondente a cinco (5) momentos de aula. Posteriormente, foi feita uma entrevista com a professora do ensino regular e com a professora do Atendimento Educacional Especializado (AEE). Paraaanálisedosdados,asinformações foram subsidiadas pela Teoria Sócio-Histórica, por meio dos estudos deVigotski e seus seguidores. Dentre os resultados obtidos, constata-se a ausência do conhecimento da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) por parte dos docentes, carência de recursos visuais, formação continuada para os professores, bem como a inexistência do intérprete como imperativos para que os alunos não sejam atendidos de forma adequada às suas necessidades. Concluiu-se que, a inclusão de alunos surdos no ensino regular ainda enfrenta muitas dificuldades, que se relacionam à limitada comunicação entre professores e aluno e entre alunos e alunos.</p> Anna Karoline Pinto Guimarães, Dinali Carneiro de Oliveira, Luzinete Soares Monteiro, Arthane Menezes Figueirêdo, Ronaldo Manassés Rodrigues Campos Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/459 Seg, 01 Abr 2019 13:38:32 +0000 INCLUSÃO ESCOLAR http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/447 <p>Este artigo tem como objetivo discorrer sobre a importância das oficinas de intervenção como instrumentos para a pré-identificação de alunos com Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD) no ambiente escolar. Geralmente as oficinas são promovidas por núcleos de atendimento a alunos com Altas Habilidades/Superdotação (NAAHS) que auxiliam no processo de identificação desses alunos. Uma vez pré-identificados por meio destas oficinas, os alunos são encaminhados para o Atendimento Educacional Especializado (AEE) onde serão avaliados e reconhecidos ou não como alunos com Altas Habilidades/Superdotação. Trata-se de um trabalho qualitativo de cunho exploratório que usou a pesquisa bibliográfica e a observação direta como forma de investigação. Os resultados da pesquisa aferem quanto à necessidade do reconhecimento de alunos com Altas Habilidades/Superdotação na educação inclusiva, pois eles também têm direito a atendimento específico na escola pelo AEE para que seus interesses, habilidades e potencialidades sejam estimulados e bem canalizados de acordo com as áreas de interesse, o que se transmuta em um grande desafio para a educação brasileira. Neste sentido, para ajudar e proporcionar um melhor diagnóstico nesta pré-identificação, as oficinas de intervenção surgem como grandes possibilidades de atividades que contribuem consideravelmente para indicação de alunos que possuem altas habilidades/superdotação.</p> Célia Souza da Costa, Elivaldo Serrão Custódio, Edina Dayane de Lara Bueno Copyright (c) 2019 Revista de Educação do Vale do São Francisco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/447 Qua, 27 Mar 2019 00:52:07 +0000