https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/issue/feed Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco 2021-01-15T03:16:52+00:00 Prof. Marcelo Silva de Souza Ribeiro mribeiro27@gmail.com Open Journal Systems <p align="justify">Veículo digital para o registro e o intercâmbio de pesquisas, reflexões e experiências acerca da educação, de uma forma ampla, contribuindo para o avanço e o aprimoramento dos processos de ensino-aprendizagem.</p> <p align="justify">A Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco é um periódico quadrimestral, versão eletrônica, vinculada a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Publica artigos inéditos oriundos de pesquisas científicas, de revisões sistemáticas, de estudos teóricos e de relatos de experiências, além de entrevistas e resenhas de livros. O objetivo principal é divulgar pesquisas e estudos vinculados ao campo da educação, em perspectiva interdisciplinar.</p> <p align="justify">A REVASF é uma revista aberta e gratuíta. A REVASF f<span style="font-size: 14px;">ornece informações sobre as condições de uso e reutilização dos conteúdos.</span></p> <p align="justify">A REVASF adota sistema <em>full time</em> para publicação. Isto significa dizer que o autor não precisa aguardar todos os artigos da edição ficarem prontos para a efetiva publicação, dando mais agilidade as publicações, além de intensificar os acessos a revista. A Revasf incorpora ainda o modelo <em>Ahead of print</em>, que é a publicação antecipada dos artigos aprovados pela Comissão Editorial (com revisões parciais), contribuindo mais rapidamente para a difusão das pesquisas.</p> <p align="justify">A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos seguido, rigorosamente, o limite de 20% para a taxa de endogenia por edição (autores oriundos da Revasf). Caso haja excedente, os autores oriundos da Univasf com artigos aceitos serão escalonados para futuras edições. Esta medida visa adequação da política editorial aos padrões de avaliações (ver também em "Notícias").</p> <p align="justify">A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos trocando nossas fontes de "time new roman para arial" (ver também em "Notícias").</p> <p align="justify">Revasf fortalece política de internacionalização (ver em "Notícias").</p> <p><strong>CASDASTRO DE USUÁRIO COMO AVALIADOR DE MANUSCRITOS DA REVASF:</strong></p> <p>Só é permitido o cadastro de usuários como AVALIADOR na condição de DOUTOR. Os demais cadastros (leitor e autor) não existem retrições em termos de titulação.</p> <p>Obs. Excepcionalmente, os editores da Revasf poderão cadastrar usuários como avaliadores sem a titulação de doutorado (isso para atender especificifdades da área de avaliação).</p> <p><strong>QUALIS/CAPES (2013 - 2016):</strong></p> <p>– Área de Ensino: B1</p> <p>- Área de Educação: B3</p> <p>– Área Interdisciplinar: B4</p> <p>- Área de Medicina Veterinearia: B5</p> <p>- Área de Ciências Agrárias I - B5</p> <p>– Área de Psicologia: B4</p> <p>– Área Interdisciplinar: B4</p> <p>– Árera de Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo: B4</p> <p>– Área de Materiais: B5</p> <p><strong>POSSÍVEL AVALIAÇÃO DO NOVO QUALIS/CAPES: B2</strong></p> <p> </p> <p><strong>INDEXAÇÕES, PORTAIS E BASES DE DADOS</strong></p> <p>A REVASF faz parte do Periódicos Capes, no Portal SEER, Diadorim, Google Scholar, LivRe, OASISBR, Latindex, Portal openAIRE, Apache Open Archives, OAJI Open Academic Journals Index, Ibict OASISBR no Diretório de Periódicos Nacionais de Educação, REDIB e integrada a LatinRev.</p> <p align="justify"> </p> https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1457 RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS (REA) COMO APOIO À FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE 2021-01-15T03:16:52+00:00 Mariza da Gama Leite de Oliveira marizagoliva@gmail.com Aline da Costa Silva Santos aline.123.santos@hotmail.com Thássya Maria Dias de Oliveira Thassya661@gmail.com <p>O artigo analisa a contribuição das tecnologias digitais para o trabalho docente na atualidade. Busca contribuir para o aprimoramento da formação continuada de professores, conscientizando-os da necessidade de conhecerem os principais desafios que as mudanças tecnológicas trazem para o ensino. Pretende também lançar um olhar crítico sobre a eficácia das políticas públicas, no sentido de inserir nas escolas públicas recursos e profissionais capacitados. Como apoio à formação continuada docente, são apresentados os recursos educacionais abertos (REA) que promovem a educação aberta, incentivam práticas de colaboração e compartilhamento, facilitam o acesso ao conhecimento e incentivam os professores e estudantes a serem coautores na produção de materiais para fins educacionais. A metodologia aplicada é a pesquisa bibliográfica, incluindo busca a sites como domínio público, TV escola e portal do professor. O estudo concluiu que apesar das falhas nas políticas públicas, e a falta de investimento em informática educativa na educação pública, há repositórios que podem contribuir para a formação continuada de professores, de iniciativa do ministério de educação; mas infelizmente são pouco visitados pelos docentes e instituições educacionais na formação continuada.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1456 A ORGANIZAÇÃO DO ENSINO DE MATEMÁTICA E O JOGO DE BOLICHE: UMA POSSIBILIDADE PARA A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES 2021-01-14T17:40:57+00:00 Edilson de Araújo Santos ediegidiosantos@gmail.com Luciana Figueiredo Lacanallo Arrais lflacanallo@uem.br Silvia Pereira Gonzaga de Moraes spgmoraes@uem.br <p>Este trabalho tem como objetivo investigar o jogo boliche como recurso didático para o ensino de matemática com alunos dos anos iniciais do ensino fundamental, a fim de ampliarmos as possibilidades de trabalho para além da maneira convencional de jogá-lo. Subsidiados nos pressupostos da Teoria Histórico-Cultural e da Atividade Orientadora de Ensino apresentamos às concepções de matemática e de jogo aliando ao processo de aprendizagem e desenvolvimento do psiquismo humano. Decorrente desta exposição, realizamos uma pesquisa documental, em que analisamos os trabalhos publicados em periódicos e em sites, com intuito de conhecermos as práticas desenvolvidas na escola com esse jogo. Por fim, elaboramos uma situação desencadeadora de aprendizagem, relacionando o boliche com diferentes conceitos matemáticos.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1454 Perfil, Atuação Profissional e Contribuição dos Egressos do Programa de Pós-graduação em Biotecnologia/RENORBIO no Estado de Pernambuco 2021-01-14T17:01:38+00:00 Sandra Maria Morgado Ferreira s.morg@uol.com.br Luciana Calabró luciana.calabro@ufrgs.br <p>Busca-se neste artigo, destacar a importância do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da Rede Nordeste de Biotecnologia em formar doutores com forte base científica nas áreas relacionadas à biotecnologia, para suprir a carência na área, tanto no exercício da docência e pesquisa, quanto no setor empresarial. Objetivando traçar o perfil dos egressos e sua atuação profissional após o término do doutorado, utilizou-se na metodologia documentos do Programa, Plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, as respostas dos questionários aplicados aos egressos, professores e coordenadores do Programa, durante o período de 2012 a 2017. Para análise qualitativa dos resultados, optou-se pela técnica da análise de conteúdo, onde as informações são agrupadas por categorias. Os resultados alcançados demonstram que o programa vem formando professores que, em grande parte, contribuem com o desenvolvimento do Nordeste e, em, especial o estado de Pernambuco.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1449 A UTILIZAÇÃO DE ELEMENTOS DE GAMES EM SALA DE AULA: 2021-01-08T23:29:12+00:00 MARIA LETICIA GOMES VIEIRA marialeticia.quimica@hotmail.com <p>A utilização de ferramentas lúdicas pode se mostrar como alternativa bastante eficiente no processo de aprendizagem. O presente trabalho tem como objetivo principal investigar a utilização de Elementos de Gamificação, e sua contribuição para os processos de ensino e aprendizagem na disciplina de Química, verificando-se as metodologias utilizadas pelos professores e as atividades desenvolvidas em sala. Para o desenvolvimento desta pesquisa, optou-se por utilizar método de abordagem qualitativa, na perspectiva de aplicar os recursos de Gamificação em sala de aula no Ensino de Química. Assim, foram realizadas entrevistas, com questionário semiestruturado, com professores de química e alunos na turma do 1º ano do Ensino Médio na Escola Marechal Antônio Alves Filho, da cidade de Petrolina/PE. Assim, os resultados apontam no sentido da eficiência da utilização de ferramentas lúdicas no processo de ensino-aprendizagem, uma vez que utilizando o <em>Kahoot</em> como ferramenta “<em>game</em>”, identificou-se uma melhora no desempenho daqueles alunos que participaram da pesquisa. É importante esclarecer que este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos, do IF Sertão Pernambucano, CAAE&nbsp; 28517019. 0.0000.8052</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1446 O USO DO CONCRETO E A AÇÃO LÚDICA NA CONSTRUÇÃO DE APRENDIZAGENS MATEMÁTICAS NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PEDAGOGOS 2021-01-05T15:36:26+00:00 Nájela Tavares Ujiie najelaujiie@yahoo.com.br Eliane Paganini da Silva elian_ps@hotmail.com <p>No âmbito do curso de Pedagogia a formação de professores demanda ser cunhada de modo polivalente e interdisciplinar, uma vez que de acordo com as diretrizes curriculares nacionais o formado na área atuará profissionalmente na educação infantil, nos anos iniciais do ensino fundamental, na gestão educacional e demais contextos relacionados à educação e ao processo ensino e aprendizagem. A educação matemática é parte integrante da seara formativa do professor pedagogo e efetiva-se via disciplina de Princípios Teóricos e Metodológicos do Ensino da Matemática (PTMEM), a qual prima por articular os saberes docentes (curriculares, disciplinares e experienciais) numa correlação dinâmica entre teoria e prática, capaz de instrumentalizar a práxis educativa. Frente ao exposto, temos por prerrogativa discorrer neste artigo sobre o delineamento formativo e educativo no que tange a educação matemática no âmbito do curso de Pedagogia, com ênfase no uso do concreto e da ação lúdica, pois a inicialização aos conhecimentos matemáticos deve considerar a criança em sua singularidade, seus conhecimentos prévios, as experiências vivenciadas e o percurso subsidiário à construção de conceitos, dimensões caras a formação do pedagogo. Evidenciamos a trajetória da disciplina a partir de um relato dialógico que clarifica os pressupostos teóricos e metodológicos forjados no processo. Assim os resultados do caminhar consolidado no espaço-tempo de PTMEM evidenciam que embora inicialmente os acadêmicos tenham uma visão negativa da matemática esta se dissipa ao longo da disciplina, a correlação teoria e prática produz engajamento e as oficinas pedagógicas que articulam uso do concreto e elaboração de materiais lúdicos para o ensino da matemática, demonstram a implicação com o processo ensino e aprendizagem numa vertente significativa e comprometida com o tornar-se professor que possa ensinar matemática de modo bem diferente da memória educativa que carregam.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1445 PERCORRENDO AS VEREDAS DA COMUNIDADE DE JAVÉ E DOS ENGENHOS, CONSTRUINDO UM ESPAÇO DESCOLONIAL E TRANSCULTURAL COM A LINGUAGEM 2021-01-04T20:37:56+00:00 Rosane Klinpovous rosaneklin@gmail.com Mauri Morais mauricmorais@outlook.com Cibele Krause Lemke cibelekl@gmail.com <p>Este artigo tem como objetivo analisar como se dá a imbricação da língua com o filme “Narradores de Javé” (2004) dirigido por Eliane Caffé e o poema “A descoberta da literatura”(1994) do autor João Cabral de Melo Neto. Sob as lentes da descolonialidade e da transculturação buscamos compreender como a língua consegue causar no cidadão o caráter identitário e de pertencimento. Suscitando transformações no contexto social, trazendo o caráter emotivo da língua falada.&nbsp; Outrossim, destacamos a importância das políticas linguísticas para a fundamentação sustentável de uma cultura em estado de descolonialidade e como os fatores transgressivos que permeiam esse trajeto. O objetivo é descrever a forma como a língua passa a ser um documento identitário para a preservação da comunidade de Javé, evitando que as águas levem toda a história. Como segundo objetivo, buscamos investigar como a audição mantém um povo liberto em alma e aprisionado fisicamente num terceiro lugar. Compreendemos que o caráter transfronteiriço e descolonial está presente nos dois gêneros textuais, suscitando um novo olhar para a construção de si como agentes modificadores. Ademais encontramos a transgressão por meio da audição da&nbsp; literatura de cordel que traz um alívio para o seu sofrimento e que os enche de esperança. Já nos moradores de Javé, temos o caráter que se afeiçoa a materialidade da língua. O que nos remete a ideia de pertencimento ao local em que vivem, se afirmando como sujeitos que possuem uma memória viva, moral e subjetiva.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1444 ESTUDO DA FORMAÇÃO DE REDES DE COLETIVOS DE JOVENS DO SUBÚRBIO FERROVIÁRIO DE SALVADOR-BAHIA: contribuições às práticas socioeducativas em periferias urbanas 2021-01-04T12:17:10+00:00 NATANAEL BOMFIM nabom_reis@hotmail.com Jeanne Lopes Santana lsjeanne@hotmail.com <p>Este estudo realizado no contexto do Subúrbio Ferroviário de Salvador (SFS) – Bahia buscou explicar o processo de formação e articulação dos coletivos de jovens e sua relação com as contribuições significativas das práticas socioeducativas para o desenvolvimento da educação em periferias urbanas. A nossa abordagem agrupa pesquisas que entrelaçam saberes e práticas sociais como forma de perceber a expressividade e a voz dos jovens, bem como suas representações nos espaços sociais (SANTOS, 2017). O estudo empírico foi desenvolvido com 10 (coletivos) de Plataforma, Periperi, Paripe, Alto do Cabrito, Lobato, São Tomé de Paripe e Fazenda Coutos, onde optamos pela técnica da amostragem em “<em>snowball sampling</em>” (BIERNARCKI, P. E WALDORF, D, 2018) ou “bola de neve”. Por meio de contato por telefone/watsapp, aplicamos o questionário/entrevista individual, que foi analisado pelo método do conteúdo do discurso de Bardin (2011) e pela Teoria e Métodos das Representações Sociais, complementado pelas informações do <em>Facebook</em> e <em>Instagram. </em>Esses dados, do ponto de vista empírico, foram tratados pelo <em>GEPHI/Cfinder</em> e analisados pelo método de perspectivista de redes sociais (MALINI, 2016). Os resultados apontam conexões representativas que amalgamam o espírito de solidariedade de uma comunidade que vive marcada pelo pragmatismo das atividades sociais e pela simbologia destes lugares. Nessas redes que os grupos desenvolvem PSE significativas para o processo formativo de seus participantes, bem como para a visibilidade e fortalecimento de suas identidades como bases fundantes para o desenvolvimento da Educação em Periferias Urbanas.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1443 O NIVELAMENTO COMO METODOLOGIA DE RECUPERAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DA PARAÍBA 2020-12-29T15:32:02+00:00 JARLEYDE OLIVEIRA jarleyde17@gmail.com <p>A metodologia de recuperação da aprendizagem, denominada de Nivelamento, tem sido bastante difundida nas escolas de ensino integral da rede estadual da Paraíba e registra melhores aproveitamentos dos estudantes na área de Língua Portuguesa e Matemática. Além disso também é notório a elevação dos índices e indicadores do IDEB e de avaliações externas, como o ENEM. Dessa forma, este trabalho descreve a utilização do Nivelamento como uma metodologia eficaz na recuperação da aprendizagem, na diminuição da defasagem de currículos e aprendizagens dos estudantes. O nivelamento é oferecido para discentes, prioritariamente dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio das escolas integrais tomando por base os resultados das avalições externas e internas, com foco nos descritores e habilidades da BNCC.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1442 Edição completa - vol 10, n 23, dezembro, 2020 2020-12-29T13:29:37+00:00 2020-12-29T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1438 Editorial - O que dizer deste ano da graça de 2020? 2020-12-24T19:51:13+00:00 2020-12-24T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1437 Expediente 2020-12-24T19:44:33+00:00 2020-12-24T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1436 DEMONSTRAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS UMA INVESTIGAÇÃO DE SUAS ABORDAGENS EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO ANCORADO NOS PRESSUPOSTOS DA NEUROCIÊNCIA COGNITIVA 2020-12-24T17:44:54+00:00 Márcio Ponciano dos Santos poncianomarcio@hotmail.com Ivanete Batista dos Santos ivanetebs@uol.com.br <p>Este artigo objetiva comparar, em Livros Didáticos de Matemática do Ensino Médio (LDMEM), aprovados pelo Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino Médio (PNLEM), as abordagens a respeito de demonstrações nos conteúdos trigonométricos. Para essa investigação usou-se a coleção “Matemática Paiva” autoria de Manoel Paiva, publicações de 2004 e 2015, buscando evidenciar os mecanismos que possibilitam uma compreensão mais eficaz das demonstrações no conteúdo em estudo. Nesse sentido, a investigação ancorou-se na pesquisa documental, por meio da análise de LDMEM e das orientações que o PNLEM dispõem para facilitar a escolha dos livros a serem adotados pelas escolas. Como lentes de análise, apoiou-se nas indicações postas no PNLEM e nos pressupostos da Neurociência Cognitiva. Desta investigação constatou-se que dos livros analisados, o uso de cores, imagens e representação gráfica facilita a compreensão do conteúdo em estudo, mas aponta, também, a necessidade de atributos que possam ser manipuláveis ao se trabalhar com essa temática.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1433 REFLEXÕES E PERSPECTIVAS DA IMPLEMENTAÇÃO DO “PROJETO + ESTUDO MONITORIA” NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA REDE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DA BAHIA: UM OLHAR POR LENTES NEUROCOGNITIVAS 2021-01-09T23:22:33+00:00 Márcio Ponciano dos Santos poncianomarcio@hotmail.com Roberto Souza Pereira roberto.pereira@ifbaiano.edu.br <p>Os estudos sobre o ensino de matemática impulsionam discussões que fomentam pesquisas na área da Educação. Nessa perspectiva, supondo que estudos da neurociência cognitiva, campo do conhecimento que apresenta justificativas a respeito da superação de obstáculos no processo de aprendizagem dos conteúdos matemáticos, desenvolveu-se este artigo que objetiva investigar as reflexões e perspectivas na implementação do “Projeto + Estudo Monitoria”, desenvolvido na rede estadual de educação da Bahia, no processo de ensino e aprendizagem da disciplina de Matemática, tendo como lente investigativa a neurociência cognitiva. A metodologia delineou-se na análise dos documentos nacionais que regem a função do monitor e dos dois editais (setembro/2019 e fevereiro/2020) publicados pela secretaria de educação do estado da Bahia a respeito do “Projeto + Estudo Monitoria” além, de justificativas neurocognitivas que fundamentam a aplicação do projeto. A proposta idealizada é de grande relevância para alavancar a qualidade da educação pública do estado baiano, além de possibilitar ao aluno participante oportunidade de atuar, de forma remunerada, em ocupação que permite o desenvolvimento intelectual, profissional, ético, de responsabilidade e de investigação. Também, salienta-se que se faz necessário uma aplicação do projeto levando em consideração os meios de captação da informação, nesse viés, valorizar mais de um canal de entrada (os sentidos) da informação viabiliza resultados com mais significação para o aprendente. Assim, o uso de recursos que valorizem os sentidos, se forem estímulos certos, podem despertar o interesse e levar a informação a ser consolidada na memória do indivíduo. Portanto, unir os objetivos do “Projeto + Estudo Monitoria” e os pressupostos da neurociência cognitiva, possibilita uma implementação com mais significado e, um consequente, armazenamento do conhecimento trabalhado.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1432 EDUCAÇÃO INCLUSIVA: 2020-12-22T13:51:39+00:00 José Lucas Duarte joselucas_91@yahoo.com.br Júlia Maria Marques Duarte juliamaria86@gmail.com Marcos Rogério dos Santos Souza marcossouzas@yahoo.com.br Marcela Baldez Peraça marcelabaldezperaca2015@outlook.com <p>Este estudo corresponde a uma pesquisa qualitativa dialética de revisão bibliográfica. Na temática educação inclusiva, sob a reflexão da construção do parecer descritivo e na prática pedagógica da Educação Especial. A escrita se ancora na Lei de Diretrizes e bases da Educação LDB 9394/96 e no Estatuto da Criança e do Adolescente Lei 8069/90, tendo como referencial teórico os seguintes autores: primários: GARDNER (1994), PERRENOUD (2000), HOFFMANN (2009), secundários: MELCHIOR (1998), SACRISTÁN (2000), PASSOS (2009), HAYDT (2011) e terciários: SOUZA (2017), SANTOS (2020), SOUZA (2020). Os resultados demonstram que a avaliação precisa favorecer a autonomia dos educandos, possibilitar o diagnóstico e reflexão na mediação do processo de ensino e aprendizagem, diferente do que tem acontecido na educação brasileira. Deste modo, para alcançar estes objetivos tornam-se necessárias promover e incentivar formações continuadas de forma complementar, já que a formação inicial dos educadores não contempla de forma satisfatória essas demandas. Por fim,&nbsp;a&nbsp;formação continuada permite&nbsp;ao professor construir conhecimento sobre as novas tecnologias, entender o porquê e como integrá-las em sua&nbsp;prática, tornando-o capaz de superar&nbsp;entraves&nbsp;administrativos e pedagógicos. Oportunizando a&nbsp;transição de um sistema fragmentado de ensino para uma abordagem integradora e equalitária.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1430 POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS E PANDEMIA: REFLEXÕES SOBRE A SAÚDE MENTAL A PARTIR DE DEPOIMENTOS DE DOCENTES 2020-12-22T02:01:04+00:00 Maria Clara Dantas Vieira mariaclaradantasvieira@gmail.com Leonardo Farias de Arruda nado.lfa@gmail.com Maria Luisa Barros Santos Lucena maria.luisa.lucena@aluno.uepb.edu.br Cristina Miyuki Hashizume cristina.mhashizume@servidor.uepb.edu.br <p>No cenário da pandemia, as Políticas Públicas devem subsidiar ações docentes para garantir o trabalho digno a docentes, segundo a legislação brasileira. O objetivo do estudo é elencar políticas públicas que normatizam o trabalho docente e o acesso universal à educação, descrever o trabalho e os desafios da docência em tempos de pandemia e realizar uma análise preliminar de entrevistas a partir da teoria do Desgaste Mental no trabalho. Trata-se de um estudo qualitativo de cunho descritivo e exploratório, realizado através de roteiro semiestruturado. Participaram da entrevista cinco educadores de redes públicas de ensino do nordeste. A análise do <em>corpus </em>empírico usou a Análise de Conteúdo proposta por Bardin. Os resultados revelaram que há contrastes na implementação de políticas públicas em cada região abordada, além da sensação de desconforto dos docentes em relação a suas condições de trabalho, devido ao desgaste mental na condição de precariedade laboral. São citados carga excessiva de trabalho, sentimento de medo e insegurança e as novas práticas educacionais associadas às TIC's e os novos desafios frente ao trabalho. Nesse sentido, as políticas públicas efetivas têm atuado de forma insuficiente em relação à saúde e condições de trabalho docente no início da pandemia.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1428 PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA ATRAVÉS DE JOGOS: 2020-12-21T22:23:51+00:00 AUDREY RODRIGUES DOS SANTOS DIAS barcellos8@hotmail.com LUCIANA APARECIDA DA CUNHA luciana.cunha@unesp.com.br LILIAN ROSE DE ALMEIDA lilian.rose@unesp.br GERMANO DE JESUS TOBIAS gerjtobias@yahoo.com.br <p>O uso dos jogos como recurso colaborativo ao ensino recebe importantes contribuições de autores como: Leontiev (2012), Moura (2011), Vygotsky (2012), entre outros. Desse modo, frente à necessidade de formação do professor que ensina Matemática, para a utilização de jogos como recurso colaborativo ao processo de ensino e de aprendizagem; a presente pesquisa almejou realizar uma análise acerca das produções acadêmicas que compuseram os anais do Congresso Brasileiro de Educação – CBE, realizadas pela Universidade Estadual Paulista (UNESP/Bauru) no período de 2013 a 2019, objetivando responder à seguinte questão de pesquisa: De que maneira a utilização de jogos como recurso colaborativo ao processo de ensino e de aprendizagem, emerge nas produções relativas à formação de professores que ensinam Matemática? Para responder a esse questionamento, a metodologia utilizada pautou-se no Estado da Arte, como modelo de investigação qualitativa bibliográfica. O levantamento de dados propiciou evidências sobre uma baixa incidência de trabalhos submetidos nestes eventos, com essa temática, suscitando reflexões sobre a importância desses recursos no âmbito escolar e, consequentemente, o incentivo à formação dos professores para esse fim.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1427 ENSINANDO DE INGLÊS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2020-12-21T18:51:22+00:00 Fernanda Seidel Bortolotti fernanda.borto@hotmail.com Cibele Krause-Lemke cibelekl2@gmail.com <p>O presente estudo aborda a crescente oferta, ainda desordenada, do ensino de inglês para o público da Educação Infantil (EI). Esta área compreende dois âmbitos distintos, o dos saberes da Pedagogia e o de Letras Inglês, sendo que a formação para atuar com este conhecimento e estas crianças ainda merece importantes discussões. Contudo, o que se propõe aqui é a abordagem dos métodos de ensino, das práticas de sala de aula para a satisfação da urgência que as discussões sobre o ensino de inglês na EI demandam. Dessa forma, realiza-se um estudo de revisão bibliográfica, primeiramente sobre esta oferta no cenário brasileiro de forma mais genérica, para na sequência apresentar os métodos que vêm sendo adotados a nível mundial para o ensino de línguas, até que adquiram características específicas para as crianças de até 6 anos. A partir destes conhecimentos, reflete-se sobre a possível aplicação de determinados métodos de ensino e o quanto condizem com as realidades encontradas no Brasil, até que irrompa a temática do Pós-método, opondo-se ao apego às teorias e valorizando o saber que o professor estabelece na prática cotidiana. Por fim, sugerem-se que outros estudos se dediquem ao desenvolvimento de possibilidades de formação para os profissionais interessados nesta prática, bem como o aprofundamento das questões do Pós-método neste país, que apesar de sua ainda recente repercussão já demonstra implicações positivas para a aquisição de línguas.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1426 EDITORIAL do Dossiê Pibid - Vol 02 2020-12-21T18:47:05+00:00 Janedalva Gondim p.gondim14@gmail.com Edmerson dos Santos Reis edmerson.uneb@gmail.com <p>Dossiê Temático - Pibid: contribuições e desafios à formação de professores - II</p> 2020-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1425 LINGUAGENS E TECNOLOGIAS 2020-12-18T19:44:50+00:00 Marcos Daniel Silveira Junior marcossilveira98@hotmail.com <p>O presente trabalho tem como objetivo avaliar as dificuldades dos alunos na disciplina de matemática e esclarecer possíveis motivos para os baixos desempenhos dos discentes nessa disciplina. O letramento científico, letramento matemático e uso de tecnologias digitais no processo de ensino-aprendizagem é abordado como facilitadores desse processo de aprendizagem. Buscou-se em pesquisas efetuadas anteriormente, avaliar a eficiência e eficácia desse modelo de ensino-aprendizagem. Foram utilizadas pesquisas do PISA referentes aos anos de 2009 e 2018 para abordar os problemas na no ensino-aprendizagem em matemática e como essas três ferramentas podem auxiliar para uma melhora nesse processo.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1422 CONTRIBUIÇÕES DAS PRÁTICAS DE HUMANIZAÇÃO EM SAÚDE PARA O BEM-ESTAR DE CRIANÇAS E CUIDADORAS DURANTE INTERNAÇÃO HOSPITALAR 2020-12-18T13:38:47+00:00 Igor Gabriel Meneses Lima igor.meneses@discente.univasf.edu.br Maria Clara Macedo de Souza Carneiro Bastos macedomariab@gmail.com Laís Queiroz Gouveia laisqgouveia@gmail.com Anacely Guimarães Costa anacely@gmail.com <p>As práticas de humanização no Sistema Único de Saúde (SUS) pretendem melhorar o atendimento ao usuário/a e aos trabalhadores. Referente à atenção em saúde, as ações humanizadoras compreendem um conjunto de princípios e diretrizes que visam uma produção de cuidado além do foco estrito na doença e orientado pelo reconhecimento dos sentidos da experiência individual no processo saúde-doença. Neste artigo serão relatadas as práticas de humanização realizadas por um projeto de extensão vinculado a um curso de medicina no sertão baiano. Foram encontros quinzenais na ala pediátrica do hospital municipal da cidade com o objetivo de desenvolver atividades mediadas por recursos lúdicos, músicas e conversas entre extensionistas, crianças e suas cuidadoras. Com isso, foi possível promover bem-estar e distração da angústia pela hospitalização. Os resultados alcançados articulam-se em dois eixos. O primeiro aponta para as contribuições das ações que potencializaram a&nbsp;integralidade do cuidado junto a crianças hospitalizadas e suas acompanhantes. O segundo remete à formação médica pelo aprimoramento da comunicação, do exercício da empatia e do respeito à alteridade na relação profissional-usuário.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1421 Herbert Marcuse e a Biopolítica 2020-12-17T23:01:41+00:00 Bartolomeu dos Santos Costa tstbartolomeu@gmail.com Rafaella Christiane dos Santos Andrade raffaee26@gmail.com <p>Esse trabalho tem como objetivo refletir sobre a Biopolítica em Herbert Marcuse a partir, principalmente da obra “A ideologia da sociedade industrial<strong>: </strong>homem unidimensional”. Como crítico da modernidade, Marcuse discorreu em “O Homem Unidimensional” acerca do controle de massa por meio do avanço tecnológico das sociedades industriais. Biopolítica significa tornar a atividade política uma ação de governo sobre a vida biológica dos indivíduos e isso faz com que se controle os corpos das pessoas e também a população como um todo e é exercida nas relações de poder dentro das sociedades modernas.&nbsp;</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1420 Tecnologias Digitais nas Escolas do Campo potencialidades e desafios 2020-12-17T22:24:54+00:00 Bartolomeu dos Santos Costa tstbartolomeu@gmail.com Rafaella Christiane dos Santos Andrade raffaee26@gmail.com Carolina Pereira Aranha cp.aranha@ufma.br <p>As tecnologias da informação e comunicação (TICs) tornaram-se indispensáveis na vida dos indivíduos. Na educação não é diferente, no entanto, a falta de acesso à internet e/ou equipamentos necessários na rede pública de ensino, dentre outros fatores dificulta seu uso enquanto ferramenta pedagógica. Mesmo assim, é possível encontrar publicações que versam sobre experiências com as TICs em sala de aula no meio urbano. Nos perguntamos assim, sobre tais experiências empreendidas em escolas do campo, tendo em vista suas especificidades e falta de acesso mais acentuada. Por isso, nesse trabalho apresentamos uma revisão sistemática, para a identificar e caracterizar experiências que abordam práticas educacionais com o uso de tics/tidics na educação básica no campo publicadas entre 2008 a 2020 em forma de artigo, trabalhos completos publicados em anais de eventos científicos, TCC de programas de pós-graduação <em>lato sensu</em> e capítulos de livro, disponíveis na Revista Brasileira de Educação do Campo e no Google Acadêmico. Notamos a partir deste trabalho que tais experiências reforçam as potencialidades do uso das TICs/TIDICs nas escolas do campo, principalmente no que se refere ao trabalho inter e multidisciplinar e à inclusão digital, ao mesmo tempo que evidenciam ainda mais os desafios que vão desde a resistência dos envolvidos à falta ou dificuldade de acesso, em especial à internet.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1419 EDITORIAL do Dossiê Pibid - Vol 01 2020-12-17T13:41:38+00:00 Janedalva Gondim janedalva.gondim@univasf.edu.br Edmerson dos Santos Reis edmerson.uneb@gmail.com <p>EDITORIAL do Dossiê "Pibid: contribuições e desafios à formação de professores no Semiárido Brasileir" - Vol 01</p> 2020-12-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1418 O ENSINO DE MATEMÁTICA NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS 2020-12-29T00:37:18+00:00 Marcilene Moreira Donadoni marcilenemdonadoni@hotmail.com Luiz Fernando Marques dos Santos lf.marques.3l@hotmail.com <p>O ensino de matemática no município de Três Lagoas, localizado em Mato Grosso do Sul, registrou crescimento na aprovação das séries inicias do Ensino Fundamental, conforme os índices do Ideb (2007 – 2017), entretanto uma queda também foi registrada nas séries finais da mesma etapa. Dessa forma, esse trabalho analisa as aulas de matemática da Escola Municipal Olyntho Mancini e aplicação da prática conhecida como “Tapete das formas geométricas” como tentativa de tornar as aulas contextualizadas e interativas, permitindo a criação do gosto pela disciplina e sua manutenção em todas as etapas da educação básica. Para tanto, ancoramo-nos no PCN de Matemática (1997) e nas pesquisas desenvolvidas por Lopes (2012), Matos (2015), Rocha (2013) e Wajskop (2012), por meio de discussões acerca de questões relacionadas ao atual cenário da educação do município e as ferramentas utilizadas para reverter o índice de reprovação.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1414 PERSPECTIVA DOS PROFESSORES ACERCA DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA 2020-12-22T15:41:57+00:00 ANA MARIA ANTUNES DE CAMPOS camp.ana@hotmail.com <p>A ansiedade matemática é definida como um medo, aversão, fobia, fuga e preocupação em relação a atividades que envolvam a matemática, interferindo nas questões emocionais, cognitivas e comportamentais do estudante. Estudos revelam que a maneira como o professor avalia sua capacidade em matemática e sua atitude em relação à matemática pode interferir no modo como os estudantes lidam essa ciência. As atitudes, crenças e valores na educação matemática são as convicções que o professor ou estudante internalizou como sendo fundamental para o processo de ensino e aprendizagem. Esses valores regulam à maneira pelas quais as habilidades cognitivas e as disposições emocionais, de um professor ou estudante, se alinham com a aprendizagem e com o ensino. Nesse sentido, esse artigo tem como objetivo fornecer um panorama das perspectivas de professores acerca de sua relação com o processo de ensino e aprendizagem da matemática. Essas discussões serão baseadas em dados obtidos através de um questionário destinado a professores, contendo 20 questões que abrangiam a formação inicial; o desempenho enquanto estudante e informações acerca da docência. Ao todo foram 40 respondentes (32 femininos e 8 masculinos), com predominância de formação inicial em Licenciatura em Pedagogia. Os dados do questionário foram tabulados seguindo os critérios para o uso no software CHIC (Classificação Hierárquica, Implicativa e Coesitiva), consequentemente foram construídas árvores de similaridade e coesitiva, bem como o grafo implicativo. Os resultados apontam as emoções relativas à matemática, podem estar relacionadas a maneira como os professores aprenderam essa disciplina, ao seu próprio desempenho, com a capacidade de atender às necessidades dos estudantes, com os conteúdos a serem ensinado, ou ainda, sobre sua capacidade de ensinar, resolver problemas perante os estudantes e outros adultos.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1412 DESAFIOS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR NA SOCIEDADE LÍQUIDA 2020-12-10T13:54:12+00:00 Marcelo Manoel de Sousa manoelsousa1985@bol.com.br <p>Desafios da Educação Escolar na sociedade líquida é o tema deste artigo. Seu objetivo é analisar os pressupostos básicos exigidos para uma Educação que atenda às demandas dos novos tempos e espaços escolares colocados pela modernidade líquida. Tem como fundamentação teórica, entre outras, as pesquisas de Bauman (2015; 2011a; 2011b; 1999a; 1999b) que tratam do papel da Educação na modernidade líquida e os princípios basilares da sociedade atual; Hall (2019; 2016; 2014; 2013a; 2013b) ao analisar os problemas postos pela representação da identidade cultural, na sociedade contemporânea; Veiga-Neto (2013; 2012; 2010; 2007) que discute a função da escola e sua articulação com a cultura e a inserção dos novos indivíduos que chegam ao espaço/tempo do mundo que também é novo para quem chega; Silva (2020a; 2020b; 2014) que examina as relações atreladas entre a identidade e diferenças envolvidas em polarizações de diferenciação e poder e suas implicações para a Educação Escolar da sociedade hodierna. A pesquisa é de tipo exploratória com abordagem qualitativa. Os resultados mostram que as características da Educação da sociedade líquida divergem do formato de ensino de uma pedagogia predominante até o final do século XIX. Isso não quer dizer que não convivam diferentes pedagogias, mas que a mais próxima de lograr êxito no contexto atual é a designada Pedagogia da Diferença.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1409 UMA AVALIAÇÃO DE CÁLCULO COMO POSSIBILIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA 2020-12-02T21:06:22+00:00 Marília Zabel zabel.marilia@gmail.com Eduardo Rafael Zimdars eduardo.zimdars@ifc.edu.br <p>Tradicionalmente, a avaliação serve para conferência de saberes e comprovação da capacidade de memorização de conteúdos. Na contramão dessa lógica, entendemos-a como uma possibilidade para o desenvolvimento profissional do professor que ensina matemática, a medida que se busca a promoção de estratégias que permitem a mobilização dos conhecimentos docentes - do conteúdo, pedagógico, do currículo. Com base nisso, o objetivo deste artigo é apresentar uma análise das percepções de licenciandos em Matemática acerca de um processo avaliativo não tradicional em aulas de Cálculo Diferencial e Integral, além de identificar indícios de como tal prática pode contribuir para seus percursos formativos. Essa avaliação foi desenvolvida numa disciplina do curso de Licenciatura em Matemática de uma instituição pública de Santa Catarina. Para produção dos dados utilizamos um questionário, respondido pelos estudantes da disciplina, explorado a partir de um viés qualitativo, com base na análise de conteúdo. Como resultados, percebemos que a avaliação se mostrou como potencial para superação de aspectos afetivos de medo e de insegurança relacionados a práticas avaliativas tradicionais, bem como potencial para mobilização de conhecimentos docentes e a retomada de conhecimentos prévios.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1408 APRESENTAÇÃO DO DOSSIÊ INFÂNCIA E TECNOLOGIA 2020-12-02T14:40:53+00:00 Adilson Cristiano Habowski adilsonhabowski@hotmail.com Elaine Conte elaine.conte@unilasalle.edu.br <p>Apresentação do Dossiê Infância e Tecnologia</p> 2020-12-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1407 O JOGO “GEOMETRIA EM AÇÃO” NA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA: (RE)VISITANDO CONCEITOS GEOMÉTRICOS ATRAVÉS DE GESTOS 2020-12-11T15:23:52+00:00 Gabriel de Oliveira Soares gsoares8@outlook.com Laura Tiemme de Castro laucaastro@outlook.com Ana Paula Stefanello anapaulastefanello16@gmail.com José Carlos Pinto Leivas leivasjc@ufn.edu.br <p>Estudos recentes relatam a importância de explorar o sistema sensório-motor no processo de aprender. Levando isso em consideração, foi desenvolvido um jogo denominado “Geometria em Ação”, que tem por objetivo envolver o trabalho com conceitos geométricos através de mímicas. Assim, esse trabalho tem por objetivo investigar os gestos produzidos por alunos de um curso de Licenciatura em Matemática ao jogarem tal jogo, focando no reconhecimento de propriedades e conceitos em Geometria Plana, Espacial e Analítica; além de identificar potencialidades e fragilidades do jogo em questão.&nbsp; Para tal, realizou-se uma oficina em um evento em uma instituição de ensino superior do estado do RS, na qual os participantes responderam a dois questionários e jogaram. Após, foram analisados os dados provenientes da oficina através dos questionários e da filmagem do jogo. Nessa, constatou-se que os estudantes ainda apresentam dificuldades em relembrar conceitos geométricos básicos, mas que, ao gesticulá-los, utilizam principalmente, gestos que remetem a objetos geométricos. Além disso, foi possível compreender as potencialidades apontadas pelos alunos sobre o jogo, principalmente no que tange à classificação e a possíveis adaptações.</p> Copyright (c) https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1406 ENTRE OLHARES CALEIDOSCÓPICOS: 2020-11-28T16:28:33+00:00 José Elyton Batista dos Santos elyton_batista@hotmail.com Carlos Alberto Vasconcelos geopedagogia@yahoo.com.br <p>A prática não se limita às ações dos professores, mas engloba todos os casos sociais que estabelecem planejamento e desenvolvimento de atividades com o intuito de possibilitar transformações. Propor um ensino tendo como base as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) exige um planejar consolidado nos objetivos e habilidades a serem desenvolvidas. Contudo, a presença das TIC no ensinar matemática, delimita-se pela ausência da usabilidade, do pesquisar e planejar. Diante disso, o presente estudo tem como foco compreender a concepção pedagógica centrada na dimensão tecnológica, bem como, a assiduidade das tecnologias na prática docente do professor de matemática da rede municipal de ensino do Município de Coruripe/Alagoas (AL). O trabalho tem viés qualitativo, tendo o método cartográfico como norteador do itinerário investigativo pelo fato de aproximar de um universo polissêmico, levando em consideração as diversas relações subjetivas existentes nos processos e fenômenos da sociedade, dos quais destacamos o ensino de matemática a partir das TIC. Os achados revelam que as TIC mais frequentes no ensinar matemática se trata das do tipo analógica, dando destaque ao quadro negro e o livro didático. As do tipo digital estão adentrando no ensino de matemática gradativamente, mas ganhando espaço cada vez por influência digital dos alunos.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> Copyright (c)