AVALIAÇÃO DO EXTRATO AQUOSO DA CINZA NA PROSPECÇÃO DE ALGUNS METABÓLITOS SECUNDÁRIOS E COMO PROPOSTA METODOLÓGICA EM EXPERIMENTOS NO ENSINO DE QUÍMICA

Autores

  • Roberto Luis Nhamússua Universidade Save
  • Daniel Agostinho Universidade Pedagógica de Moçambique

Palavras-chave:

Extrato aquoso da cinza, pesquisa de metabólitos, ensino de química, experimentos escolares.

Resumo

A falta de reagentes no ensino e na pesquisa constitui uma grande preocupação dentro da comunidade científica. A pesquisa teve como objetivos desenvolver métodos alternativos de uso do extrato aquoso da cinza e comparar a sua eficácia na perspectiva de substituição parcial dos métodos convecionais na prospecção de algumas classes de metabólitos secundários e na realização de experimentos aplicáveis ao ensino de química. Deste modo, preparou-se uma série de concentrações de extratos aquosos da cinza, obtidos por maceração. Neste processo usou-se o pHmetro de marca PHYWE Cobra 4 Mobile Link para medir a concentração dos íons. Após isso, preparou-se os extratos das amostras dos vegetais selecionados para a identificação de metabólitos, usando métodos padronizados na literatura. Para avaliar a eficácia dos experimentos escolares, fez-se o levantamento de todos os experimentos de química previstos nos programas de ensino secundário das classes, 9ª 11ª e 12ª e a posterior foram avaliados no laboratório de química da Universidade Pedagógica de Maputo, através de reações químicas em substituição do reagente previsto, com o extrato aquoso da cinza. A reação do extrato aquoso da cinza deu resultados positivos para flavanoides (coloração amarela) em amostras de Allium cepa e Passiflora edulis e antraquinonas (coloração violeta-A. vera e vermelha-T. peruviana) em Aloe vera e Thevetia peruviana em pH 11, respectivamante. Para antocianinas os resultados também foram positivos em extratos aquosos de Brassica oleracea, Nerium oleander e Bougainvilea glabra em pH que varia de 6,5-8 (violeta); 9-10 (azul); 11-12 (verde) e 13-14 (amarelo). Todos os experimentos escolares ensaiados, foram positivos ao substituir os reagentes alcalinos convencionais de NaOH, KOH, NH4OH e Ca (OH)2 por extrato aquoso da cinza das folhas de Musa sp nas reações químicas escolares, sendo assim, a cinza pode ser um recurso alternativo para o ensino de química e prospecção fitoquímica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Luis Nhamússua, Universidade Save

Mestre em Educação/ Ensino de Ciências Naturais pela Universidade Pedagógica-Moçambique, Graduado em Ensino de Química e Biologia pela Universidade Pedagógica-Moçambique. Docente Química orgânica I e II, Bioquímica na Universidade Save – Massinga, Caixa Postal 111, Moçambique.

Daniel Agostinho, Universidade Pedagógica de Moçambique

Doutor em Química, Disciplina/Especialidade: Farmacognosia/Ciências da Vida e da Saúde, Professor Auxiliar da Universidade Pedagógica de Moçambique, Director do Centro de Tecnologias Educativas (CTE), docente de Bioquímica, Farmacognosia e Microbiologia da Faculdade de Ciências Naturais e Matemática,  Campus de Lhanguene, Maputo, Moçambique. Caixa Postal 4040, Av. De Moçambique Km 1.

Downloads

Publicado

2021-09-13

Como Citar

Nhamússua, R. L., & Agostinho, D. (2021). AVALIAÇÃO DO EXTRATO AQUOSO DA CINZA NA PROSPECÇÃO DE ALGUNS METABÓLITOS SECUNDÁRIOS E COMO PROPOSTA METODOLÓGICA EM EXPERIMENTOS NO ENSINO DE QUÍMICA. Revista De Educação Da Universidade Federal Do Vale Do São Francisco, 11(25). Recuperado de https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1479