Notícias

APLICATIVO PARA REVASF NO ANDROID

Temos o prazer de anunciar que desenvolvemos um aplicativo para rodar nossa revista (REVASF) em smartphones... por enquanto o APP está disponível para o sistema Android, mas em breve estará também disponível para o sistema IOS.

Para baixar o aplicativo acesse o link abaixo:

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.pibex.revasfapp

 

DOSSIÊ TEMÁTICO - Discursos Pedagógicos e Experiências Formativas em Questão: Infâncias e Tecnologias

Essa chamada tem por objetivo disseminar investigações e estudos acerca da Cultura da Infância e os discursos pedagógicos em torno das relações com as tecnologias na Educação, em suas interfaces interdisciplinares e experiências formativas no mundo contemporâneo. Afinal de contas, por que o discurso pedagógico se burocratizou a ponto de perder o sentido formativo com as experiências da infância na situação atual? Trata-se de identificar diferentes perspectivas em torno das contradições nas práticas e nos comportamentos que se reproduzem com a cultura digital e suas perturbações instrumentais no mundo sociocultural e nos processos pedagógicos. Essa proposta surge em virtude da intensa presença tecnológica revelada em uma geração que nasce hiperestimulada e que não pode ser ignorada nas dinâmicas e processos socioculturais.

Não há como negar que as tecnologias digitais possam ser integradas ao contexto educacional para potencializar as práticas pedagógicas, no aprofundamento epistemológico, científico, técnico, metodológico e profissional. Seguramente ou de forma improvisada, os avanços e a intensificação das conexões digitais estão sendo usadas na urgência contemporânea para aproximar o saber escolar para o novo contexto de estudos domiciliares em forma de educação remota, como já está ocorrendo nesta pandemia (coronavírus). Mas, de que forma a escola e os professores podem mobilizar conhecimentos com as tecnologias digitais como horizonte de (re)criação com textos mais instigantes frente às novas configurações conceituais articuladas à Educação? 

Por fim, reforçamos a importância e o grande desafio no entendimento da cultura da infância em processos de metamorfose do presente, uma vez que as crianças estão expostas a diversas experiências, informações e propagandas, hábitos e costumes de um mundo hiperconectado e trancafiado. Nesse sentido, propiciamos um espaço de reflexão em torno de experiências formativas para a melhoria da vida humana, oportunizando novos instrumentos culturais para pensar os contextos vigentes e as novas configurações das práticas pedagógicas com a cultura da infância em diferentes dimensões.

O dossiê “Discursos Pedagógicos e Experiências Formativas em Questão: Infâncias e Tecnologias”, previsto para ser publicado na edição de maio a agosto de 2020.

Submissão dos manuscritos até 10 de agosto de 2020

Os artigos devem ser originais e inéditos e devem estar em conformidade com as normas da revista. As propostas devem ser submetidas no portal da REVASF (http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/index)

Organizadores:

Adilson Cristiano Habowski

Doutorando em Educação na Universidade La Salle - Canoas/RS

http://lattes.cnpq.br/2627205889047749

Elaine Conte

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2012). Professora da Universidade La Salle

- http://lattes.cnpq.br/8885390885955168

 

DOSSIÊ: O CAMPO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

Apresentação:

O campo da História da Educação no Brasil nos últimos 30 anos se expandiu e se institucionalizou a partir de constituição de linhas e grupos de pesquisa vinculados aos Programas de Pós-Graduação em Educação, eventos, periódicos e associações científicas. Nestes termos, este Dossiê objetiva reunir textos e pesquisadores dedicados à discussão sobre “Como se constituiu o campo da história da educação no Brasil?”. Por tal, optou-se por apresentar os seguintes eixos de investigação:

  1. a) Historiografia da educação;
  2. b) Temas e objetos à História da Educação;
  3. c) Produção e difusão do conhecimento em História da Educação no Brasil.

Prazo para submissão: até 13 de setembro de 2020.

Organizadoras:

Olivia Morais de Medeiros Neta (UFRN)

Maria Inês Sucupira Stamatto (UFRN)

Fabiana Sena da Silva (UFPB)

 

CHAMADA PARA DOSSIÊ "PIBID: CONTIRBUIÇÕES E DESAFIOS À FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

 

O dossiê “Pibid: contribuições e desafios à formação de professores no Semiárido Brasileiro” previsto para ser publicado na edição de setembro à dezembro 2020, visa divulgar pesquisas e experiências realizadas por bolsistas do Pibid (alunos, professores-supervisores e coordenadores), no âmbito do programa, com o intuito de fomentar o intercâmbio das ideias e da produção do conhecimento acerca da Iniciação à Docência no recorte do Semiárido Brasileiro. As licenciaturas contempladas para a publicação da edição da Revasf serão aquelas que participaram do Edital CAPES 07/2018.

A experiência viabilizada pelo Programa Institucional de Iniciação à Docência (Pibid/Capes) se caracteriza como uma proposta de valorização dos futuros docentes durante seu processo de formação. O Pibid tem como objetivo o aperfeiçoamento da formação de professores para a Educação Básica e a melhoria da qualidade da educação pública brasileira. Desse modo, as ações pedagógicas desenvolvidas mediante a realização do Pibid mobilizam um processo de desconstrução de concepções e fazeres acerca da docência com vistas a uma prática mais humanizada, libertadora, contextualizada e crítica capaz de agregar diálogos construtivos sobre as distintas realidades de formação e atuação situadas do professor em exercício e em formação. Nesse aspecto, as ações pedagógicas do Pibid correspondem desde as vivências e saberes das escolas da Educação Básica numa relação direta com as universidades como se constitui em um diálogo permanente com os saberes dos níveis educacionais e dos contextos diversos de ensino, como é o caso do Semiárido Brasileiro.

A riqueza de experiências protagonizadas pelo Pibid contribui diretamente para um redirecionar dos processos formativos em curso nas licenciaturas, permitindo aprendizagens transformadoras que se efetivam nas vivências do cotidiano das escolas da Educação Básica, podendo assim, orientar reflexões e inflexões que permitam uma aproximação profícua e aprendente, tanto nas instituições de formação superior como nas escolas públicas, no sentido de diminuir a distância entre aquilo que se aborda nos processos formativos e o que realmente acontece nos espaços de ensino.

Contribuir com o registro, o debate e a reflexão sobre esses processos é o sentido maior deste dossiê, valorizando e publicizando esses saberes e fazeres desenvolvidos no Pibid Edital CAPES 07/2018. Assim, a REVASF, como revista que se dedica ao estudo dos processos educativos e formativos de maneira interdisciplinar, se propõe a publicar artigos, relatos de experiências, ensaios e entrevistas, que possam contribuir para o fortalecimento da iniciação à docência e produzir um espaço de convergência e, quiçá, referência nacional e internacional.

Nesse sentido, a chamada desse dossiê se interessa, particularmente, por trabalhos que abordem:
(i) concepções sobre docência;
(ii) saberes e competências do fazer pedagógico;

(iii) metodologias de ensino;
(iv) planejamento e currículos;
(v) produção de materiais didáticos
Os assuntos sugeridos não impedem que outros pontos, questões e abordagens pertinentes ao dossiê sejam propostos e bem-recebidos.

Os artigos devem ser originais e inéditos e devem estar em conformidade com as normas da revista. As propostas devem ser submetidas no portal da REVASF (http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/index) até 01 de outubro de 2020.

Cordialmente

Organizadores

Profa Dra Janedalva Gondim(Cartes/Univasf)

p.gondim14@gmail.com

Prof Dr Edmerson Reis (DCH III- Uneb)

edmerson.uneb@gmail.com

 

 

CHAMADA PARA DOSSIÊ ENSINO DA COMUNICAÇÃO EM SAÚDE. 

A publicação, prevista para abril maio de 2020, pretende contribuir para a divulgação de conhecimento sobre a temática “Ensino da Comunicação em Saúde”, que ganha cada vez mais espaço nos processos formativos de profissionais, tendo em vista sua importância na prática cotidiana. As diretrizes para os cursos de graduação na área da Saúde estabelecem que os futuros profissionais sejam críticos e éticos e tenham responsabilidade social, o que requer reflexão sobre a realidade política, social e econômica. A comunicação permeia todas as ações dos profissionais de saúde, em todos os níveis de atenção, na gestão e na educação em saúde e deve considerar o ser humano em todas as suas dimensões (biopsicossocial e espiritual), centrando-se nas relações que se tecem no cotidiano com o paciente e seus familiares, com a equipe e a comunidade, tendo como pressuposto o profissionalismo, a ética e a sensibilidade. Um dos desafios atuais é o processo formativo e seus desdobramentos no eixo ensino!

Como forma de valorizar e divulgar os trabalhos que abordem essa temática, a REVASF, como revista que se dedica ao estudo dos processos educativos e formativos de maneira interdisciplinar, se propõe a publicar artigos, relatos de experiências, ensaios e resenhas, que possam contribuir para o fortalecimento do tema e produzir um espaço de convergência e, quiçá, referência nacional e internacional.

Nesse sentido, a chamada desse dossiê se interessa, particularmente, por trabalhos que abordem (i) o ensino da comunicação e saúde; (ii) as competências em comunicação; (iii) a prática da comunicação em saúde; (iv)a epistemologia da linguagem; (v) o currículo em comunicação em saúde; (vi) as questões éticas e políticas em comunicação e saúde; (vii) a formação profissional continuada em comunicação e saúde; (viii); (ix) subjetividade e comunicação. Os assuntos sugeridos não impedem que outros pontos, questões e abordagens pertinentes ao dossiê sejam propostos e bem-recebidos.

Os artigos devem ser originais e inéditos e devem estar em conformidade com as normas da revista. As propostas devem ser submetidas no portal da REVASF (http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/index) até 01 de janeiro até 31 de março de 2020.

Editores do dossiê:
Suely Grosseman
e-mail: sgrosseman@gmail.com
Lattes - http://lattes.cnpq.br/0370187050750881

Fernanda Patrícia Soares Souto Novaes
e-mail: fernandapatriciassn@gmail.com
Lattes - http://lattes.cnpq.br/6574773971692001

 

TAXA DE 20% DE ENDOGENIA

 A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos seguido, rigorosamente, o limite de 20% para a taxa de endogenia por edição (autores oriundos da Revasf). Caso haja excedente, os autores oriundos da Univasf com artigos aceitos serão escalonados para futuras edições. Esta medida visa adequação da política editorial aos padrões de avaliações.

MUDANÇA DE FONTE PARA ARIAL

A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos trocando nossas fontes de "time new roman para arial"

AVALIAÇÃO PRÉVIA DOS MANUSCRITOS

Antes dos manuscritos serem aceitos para avaliação, passarão por um crivo feito pela equipe editorial no sentido de verificar se atendem aos pré-requisitos básicos de modo a seguir com o processo de submissão (tema ligado a área de educação, manuscrito anônimo, título, resumo e palavras chaves em português, em inglês e espanhol ou francês, além dos formatos definidos na política editorial da Revasf). É facultada a equipe editorial não dar feedbacks (explicando e apontando as possíveis incoerências) aos autores quando da rejeição do manuscrito nessa fase. Os feedbacks são dados, obrigatoriamente, quando os manuscritos forem processados pelos avaliadores (na opção de rejeição ou revisão).

 

A REVASF FAZ PARTE DO FEPAE

A Revasf faz do Fórum de Editores de Periódicos da Área de Educação (FEPAE) desde 2016, participando ativamente dos Encontros Norte e Nordeste de Editores de Periódicos da Área de Educação. Trata-se de um Fórum permanente e aberto às questões relacionadas aos periódicos da área de educação, tendo como principal objetivo promover o intercâmbio entre editores de periódicos, estimulando a cooperação e solidariedade institucional, com vistas a impulsionar a melhoria da política de publicação na área.

Claúdio Pinto Nunes (UESB), coordenador do FEPAE Norte/Nordeste,

 

ATUALIZAÇÃO DO OJS

A REVASF atualizou a versão do OJS e está de cara de nova e oferencendo, inclusive, novos recursos. Lembramos que todos os artigos serão ainda transferidos para este novo portal. Sendo assim, por enquanto, utilize o link a seguir para acessar os artigos anteriormente publicados (antiva versão):

http://periodicos2.univasf.edu.br/index.php/revasf/

 INDEXAÇÕES

A REVASF está indexada no Periódicos Capes, no Portal SEER, Diadorim, Google Scholar, LivRe, Buscador Coruja.com, OASISBR, Latindex, Portal openAIRE, Apache Open Archives, OAJI Open Academic Journals Index, Ibict OASISBR no Diretório de Periódicos Nacionais de Educação e integrada a LatinRev.

REVASF agora tem edições quadrimestrais:

Buscando atender melhores padrões de qualificação, a REVASF terá três publicações por ano (abril, agosto e dezembro).

REVASF FORTALECE POLÌTICA DE INTERNACIONALIZAÇÃO:

A Revasf adota algumas ações que visam potencializar sua política de internacionalização:
- Publica artigos em línguas estrangeiras (espanhol, inglês e francês);
- Ajusta regras da ABNT (retirado o traço das referências e o et al das citações e referências - ver "normas de submissão");

A REVASF adota sistema de fluxo contínuo para publicação de artigos:

À medida que os artigos ficarem prontos no que diz respeito as avaliações, revisões e layout, os mesmos serão publicação nas suas respetivas edições e volumes. Não haverá mais necessidade de aguardar a finalização de todos os artigos para a respectiva edição ser publicada.

A POSSÍVEL AVALIAÇÃO DO NOVO QUALIS PARA REVASF É B2 (todas as áreas) 

  • DOSSIÊ TEMÁTICO - Discursos Pedagógicos e Experiências Formativas em Questão: Infâncias e Tecnologias

    2020-06-17

    Essa chamada tem por objetivo disseminar investigações e estudos acerca da Cultura da Infância e os discursos pedagógicos em torno das relações com as tecnologias na Educação, em suas interfaces interdisciplinares e experiências formativas no mundo contemporâneo. Afinal de contas, por que o discurso pedagógico se burocratizou a ponto de perder o sentido formativo com as experiências da infância na situação atual? Trata-se de identificar diferentes perspectivas em torno das contradições nas práticas e nos comportamentos que se reproduzem com a cultura digital e suas perturbações instrumentais no mundo sociocultural e nos processos pedagógicos. Essa proposta surge em virtude da intensa presença tecnológica revelada em uma geração que nasce hiperestimulada e que não pode ser ignorada nas dinâmicas e processos socioculturais.

    Não há como negar que as tecnologias digitais possam ser integradas ao contexto educacional para potencializar as práticas pedagógicas, no aprofundamento epistemológico, científico, técnico, metodológico e profissional. Seguramente ou de forma improvisada, os avanços e a intensificação das conexões digitais estão sendo usadas na urgência contemporânea para aproximar o saber escolar para o novo contexto de estudos domiciliares em forma de educação remota, como já está ocorrendo nesta pandemia (coronavírus). Mas, de que forma a escola e os professores podem mobilizar conhecimentos com as tecnologias digitais como horizonte de (re)criação com textos mais instigantes frente às novas configurações conceituais articuladas à Educação? 

    Por fim, reforçamos a importância e o grande desafio no entendimento da cultura da infância em processos de metamorfose do presente, uma vez que as crianças estão expostas a diversas experiências, informações e propagandas, hábitos e costumes de um mundo hiperconectado e trancafiado. Nesse sentido, propiciamos um espaço de reflexão em torno de experiências formativas para a melhoria da vida humana, oportunizando novos instrumentos culturais para pensar os contextos vigentes e as novas configurações das práticas pedagógicas com a cultura da infância em diferentes dimensões.

    O dossiê “Discursos Pedagógicos e Experiências Formativas em Questão: Infâncias e Tecnologias”, previsto para ser publicado na edição de maio a agosto de 2020.

    Submissão dos manuscritos até 10 de agosto de 2020

    Os artigos devem ser originais e inéditos e devem estar em conformidade com as normas da revista. As propostas devem ser submetidas no portal da REVASF (http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/index)

    Organizadores:

    Adilson Cristiano Habowski

    Doutorando em Educação na Universidade La Salle - Canoas/RS

    http://lattes.cnpq.br/2627205889047749

    Elaine Conte

    Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2012). Professora da Universidade La Salle

    - http://lattes.cnpq.br/8885390885955168

     

    Saiba mais sobre DOSSIÊ TEMÁTICO - Discursos Pedagógicos e Experiências Formativas em Questão: Infâncias e Tecnologias
  • DOSSIÊ: O CAMPO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

    2020-06-17

    Apresentação:

    O campo da História da Educação no Brasil nos últimos 30 anos se expandiu e se institucionalizou a partir de constituição de linhas e grupos de pesquisa vinculados aos Programas de Pós-Graduação em Educação, eventos, periódicos e associações científicas. Nestes termos, este Dossiê objetiva reunir textos e pesquisadores dedicados à discussão sobre “Como se constituiu o campo da história da educação no Brasil?”. Por tal, optou-se por apresentar os seguintes eixos de investigação:

    1. a) Historiografia da educação;
    2. b) Temas e objetos à História da Educação;
    3. c) Produção e difusão do conhecimento em História da Educação no Brasil.

    Prazo para submissão: até 13 de setembro de 2020.

    Organizadoras:

    Olivia Morais de Medeiros Neta (UFRN)

    Maria Inês Sucupira Stamatto (UFRN)

    Fabiana Sena da Silva (UFPB)

     

    Saiba mais sobre DOSSIÊ: O CAMPO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL
  • CHAMADA PARA DOSSIÊ "PIBID: CONTRIBUIÇÕES E DESAFIOS À FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

    2020-06-08

    O dossiê “Pibid: contribuições e desafios à formação de professores no Semiárido Brasileiro” previsto para ser publicado na edição de setembro à dezembro 2020, visa divulgar pesquisas e experiências realizadas por bolsistas do Pibid (alunos, professores-supervisores e coordenadores), no âmbito do programa, com o intuito de fomentar o intercâmbio das ideias e da produção do conhecimento acerca da Iniciação à Docência no recorte do Semiárido Brasileiro. As licenciaturas contempladas para a publicação da edição da Revasf serão aquelas que participaram do Edital CAPES 07/2018.

    Saiba mais sobre CHAMADA PARA DOSSIÊ "PIBID: CONTRIBUIÇÕES E DESAFIOS À FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO
  • Artigo mais acessado

    2019-10-12

    A Revasf parabeniza Caila Carolina Duarte Campos Paes e Alvaneide Nunes dos Passos Paixão, autores do artigo A IMPORTÂNCIA DA ABORDAGEM DA EDUCAÇÃO EM SAÚDE REVISÃO DE LITERATURA, pela significativa quantidade de visualizações e downloads.

    2124 visualizações - de maio a outubro de 2019

    2002 downloads - novembro de 2018 a outubro de 2019

    Saiba mais sobre Artigo mais acessado
  • Chamada para Dossiê Ensino da Comunicação em Saúde

    2019-09-07

    A publicação, prevista para abril maio de 2020, pretende contribuir para a divulgação de conhecimento sobre a temática “Ensino da Comunicação em Saúde”, que ganha cada vez mais espaço nos processos formativos de profissionais, tendo em vista sua importância na prática cotidiana. As diretrizes para os cursos de graduação na área da Saúde estabelecem que os futuros profissionais sejam críticos e éticos e tenham responsabilidade social, o que requer reflexão sobre a realidade política, social e econômica. A comunicação permeia todas as ações dos profissionais de saúde, em todos os níveis de atenção, na gestão e na educação em saúde e deve considerar o ser humano em todas as suas dimensões (biopsicossocial e espiritual), centrando-se nas relações que se tecem no cotidiano com o paciente e seus familiares, com a equipe e a comunidade, tendo como pressuposto o profissionalismo, a ética e a sensibilidade. Um dos desafios atuais é o processo formativo e seus desdobramentos no eixo ensino!

    Como forma de valorizar e divulgar os trabalhos que abordem essa temática, a REVASF, como revista que se dedica ao estudo dos processos educativos e formativos de maneira interdisciplinar, se propõe a publicar artigos, relatos de experiências, ensaios e resenhas, que possam contribuir para o fortalecimento do tema e produzir um espaço de convergência e, quiçá, referência nacional e internacional.

    Nesse sentido, a chamada desse dossiê se interessa, particularmente, por trabalhos que abordem (i) o ensino da comunicação e saúde; (ii) as competências em comunicação; (iii) a prática da comunicação em saúde; (iv)a epistemologia da linguagem; (v) o currículo em comunicação em saúde; (vi) as questões éticas e políticas em comunicação e saúde; (vii) a formação profissional continuada em comunicação e saúde; (viii); (ix) subjetividade e comunicação. Os assuntos sugeridos não impedem que outros pontos, questões e abordagens pertinentes ao dossiê sejam propostos e bem-recebidos.

    Os artigos devem ser originais e inéditos e devem estar em conformidade com as normas da revista. As propostas devem ser submetidas no portal da REVASF (http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/index) até 01 de janeiro até 31 de março de 2020.

    Editores do dossiê:
    Suely Grosseman
    e-mail: sgrosseman@gmail.com
    Lattes - http://lattes.cnpq.br/0370187050750881

    Fernanda Patrícia Soares Souto Novaes
    e-mail: fernandapatriciassn@gmail.com
    Lattes - http://lattes.cnpq.br/6574773971692001

    Saiba mais sobre Chamada para Dossiê Ensino da Comunicação em Saúde
  • Taxa de 20% de Endogenia

    2019-05-11

    A partir da próxima edição "setembro-dezembro /2019" estaremos seguido, rigorosamente, o limite de 20% para a taxa de endogenia por edição (autores oriundos da Revasf). Caso haja excedente, os autores oriundos da Univasf com artigos aceitos serão escalonados para futuras edições. Esta medida visa adequação da política editorial aos padrões de avaliações.

    Saiba mais sobre Taxa de 20% de Endogenia
  • Avaliação prévia dos manuscritos

    2019-05-01

    Antes dos manuscritos serem aceitos para avaliação, passarão por um crivo feito pela equipe editorial no sentido de verificar se atendem aos pré-requisitos básicos de modo a seguir com o processo de submissão (tema ligado a área de educação, manuscrito anônimo, título, resumo e palavras chaves em português, em inglês e espanhol ou francês, além dos formatos definidos na política editorial da Revasf). É facultada a equipe editorial não dar feedbacks (explicando e apontando as possíveis incoerências) aos autores quando da rejeição do manuscrito nessa fase. Os feedbacks são dados, obrigatoriamente, quando os manuscritos forem processados pelos avaliadores (na opção de rejeição ou revisão).

     

    Saiba mais sobre Avaliação prévia dos manuscritos
  • A REVASF faz parte do FEPAE

    2019-03-29

    A Revasf faz parte do Fórum de Editores de Periódicos da Área de Educação (FEPAE) desde 2016, participando ativamente dos Encontros Norte e Nordeste de Editores de Periódicos da Área de Educação. Trata-se de um Fórum permanente e aberto às questões relacionadas aos periódicos da área de educação, tendo como principal objetivo promover o intercâmbio entre editores de periódicos, estimulando a cooperação e solidariedade institucional, com vistas a impulsionar a melhoria da política de publicação na área.

    Vídeo do prof. Claúdio Pinto Nunes (UESB), coordenador do FEPAE Norte/Nordeste

    Saiba mais sobre A REVASF faz parte do FEPAE